A Alemanha do III Reich era um Estado Totalitário em sua excelência. Embora seja uma afirmação cor-rente, poucos percebem seu real significado: o totalitarismo caracteriza-se pela presença do ESTADO em to-das as esferas da vida particular e pública, civil e militar. Por conseguinte, o que se observa na Alemanha du-rante aqueles anos é a incrível simbiose havida entre o Partido Nazista (e seus valores) e a sociedade alemã.

Obviamente, para atingir essa extensão, o III Reich tornou os seus órgãos de organização burocrática estrutu-ras gigantescas e complexas, estruturadas em cadeias de comando interligadas e, muitas vezes, com com-petências conflitantes.
Prédio do RLM. O objeto de estudo deste site é a Luftwaffe e esta não foi uma exceção. Embora fosse uma das armas que com-punham a Wehrmacht (ao lado do Heer, Kriegsmarine e, mais tarde, da SS), a força Aérea Alemã jamais teve a au-tonomia de um Ministério. Na verdade, a Luftwaffe era ape-nas parte - ou o "braço armado" - do gigantesco Reichs LuftfahrtMinisterium ou RLM (Ministério Aeronáutico do Reich). Por sua vez, a própria Luftwaffe era um órgão que possuía inúmeros departamentos e uma intricada cadeia de comando.

O RLM foi formado em 27 de abril de 1933, a partir do chamado Reichskommissariat für die Luftfahrt (Comissari-
ado do Reich para a Aeronáutica) - que havia sido criado em 02 de fevereiro de 1932 - e possuía Hermann Göring como seu chefe. Constituído inicialmente apenas por um pequeno staff, a primeira e mais importante alteração ocorreu logo em 15.05.1933 quando o General Werner von Blomberg (então Chefe do Oberkom-mando der Wehrmacht - OKW) determinou que o Departamento de Aviação Militar (chamado Luftschutzamt), ligado ao OKW (e ainda desenvolvido secretamente), fosse transferido para o RLM.

Era a primeira vez que um grande Departamento de Defesa ficaria fora do controle do Exército ou da Marinha e por isso, pode ser considerado o nascimento da Luftwaffe, embora seu estabelecimento oficial somente ocorreria alguns anos mais tarde. Com a transferência do Luftschutzamt, o RLM expandiu-se consideravel-mente, e passou a contar com dois grandes departamentos: o próprio Luftschutzamt (LA) que cuidava da aviação militar e o Allgemeines Luftamt (LB), que era competente para administrar a aviação civil.

 

Organização Administrativa

Em seus anos iniciais a parte militar do RLM era diretamente subordinada a Erhard Milch, enquanto este possuía a função de Staatssekretär der Luftfahrt (Secretário de Estado para a Aeronáuti-ca). O Luftschutzamt (LA) era comandado por Eberhard Bohnstedt e composto dos seguintes Abteilungen (departamentos):

- Führung (LA I)
- Organisation (LA II)
- Ausbildung (LA III)
- Luftschutz (LA IV)

Já o Allgemeines Luftamt (LB) consistia dos seguintes Abteilungen:

- Luftverkehr (LB I)
- Technik (LB II)
- Luftsport und Ausbildung (LB III)
- Luftbildwesen (LB IV)
- Bodenorganisation (LB V)


Outras unidades sob comando do RLM era o Hauptbildstelle der RLM, o Reklameabteilung (três Reklamestaffeln compuseram as primeiras unidades aéreas), o Militärflugzentrum Lipezk na Rússia (responsável pela administração do campo secreto de treinamento localizado naquele país, desde os anos 20), o Kommando der Fliegerschulen e o Inspektion des Luftschutzes.

Em 01.09.1933 o General Walther Wever assumiu o Luftschutzamt que foi redesignado Luftkommandoamt e o RLM passou a contar com seis grandes departamentos:

- Luftkommandoamt (LA)
- Allgemeines Luftamt (LB)
- Technisches Amt (LC)
- Luftwaffenver-waltungsamt (LD)
- Luftwaffenpersonalamt (LP)
- Zentralabteilung (ZA).

O Abteilung Technik (LB II), subordinado ao LB havia se tornado independente, passando a se denominar Technisches Amt (LC), assim como o Personalabteilung (que era parte do LA) que havia se tornado independente como Luftwaffenpersonalamt (LP), enquanto o LD e o ZA eram órgãos novos. Na mesma ocasião o Inspektionder Luftschutzes (InLS) retornou ao comando do Exército e pouco depois, em 01.11.1933, o Kommando der Fliegerschulen tornou-se Inspektion der Schulen der Luftwaffe (mantendo-se sob direção do RLM).


Estrutura do RLM em 01.10.1933


Esta estrutura permaneceria intocada por apenas um ano, sendo que em 01.11.1934, foi criado o LZM (Luft-zeugmeister), que seria o departamento responsável pelo controle de suprimentos (ou logística). Nesta data, o RLM passou a ser estruturado da seguinte forma:

LUFTKOMMANDOAMT (LA)

   - Abteilung Führung (LA I) - incluindo o chamado Gruppe "Fremde Luftmächte"
   - Abteilung Organisation (LA II ) - incluindo o chamado Arbeitsgruppe "Organisation der Flakartillerie"
   - Abteilung Ausbildung (LA III) - renomeado Abteilung Taktik em 01.02.1939
   - Abteilung Stärke - und Ausrüstungsnachweisungen
   - Abteilung Nachschub - und Versorgungsangelegenheiten
   - Abteilung Nachrichtenverbindungswesen der Luftwaffe
   - Abteiliung zivilen Luftschutz

ALLGEMEINES LUFTAMT (LB)

   - Abteilung zivilen Luftverkehr
   - Abteilung Wetterdienst
   - Abteilung Bodenorganisation
   - Abteilung Flugsicherung der Zivilluftfahrt
   - Abteilung Luftbildwesens

TECHNISCHES AMT (LC)

   - Abteilung Forschung (LC I)
   - Abteilung Entwicklung (LC II)
   - Abteilung Beschaffung (LC III)

LUFTWAFFENVERWALTUNGSAMT (LD)

   - Abteilung Besoldungswesen
   - Abteilung Verpflegungswesen
   - Abteilung Bekeidungswesen
   - Abteilung Unterkunftsverwaltungswesen

LUFTWAFFENPERSONALAMT (LP)

   - Personalangelegenheiten der Truppenoffiziere
   - Personalangelegenheiten der Landesschutz-Offiziere
   - Personalangelegenheiten der Beamten
   - Personalangelegenheiten des Offiziernachwuches
   - Personalangelegenheiten des fliegenden Unterpersonals
   - Disziplinar- und Fürsorgewesen der Luftwaffe
   - Ehren- und Ordenangelegenheiten
   - Unterstützungswesen

LUFTZEUGMEISTER (LZM)

   - Gerätbeständeverwaltung
   - Nachschubführung

ZENTRALABTEILUNG (ZA)

   - Adjutantur des Staatssekretärs
   - Abwehrgruppe
   - Justitiariat des Ministeriums
   - Gruppe Sanitätswesen
   - Pressegruppe
   - Bürodirektor des Ministeriums

INSPEKTION DES SCHULEN DER LUFTWAFFE (InSch)

   - Flugzeugführerschulen
   - Fliegerwaffenschulen
   - Fliegertechnische schulen
   - Flugbereitschaft der RLM


Estrutura do RLM em 01.11.1934


Com a criação oficial da Luftwaffe em março de 1935 - quando Hitler revogou unilateralmente o Tratado de Versalhes e tornou público o rearmamento alemão - surgiu o Oberkommando der Luftwaffe ou OKL (Alto Comando da Força Aérea), que atuaria como o poder executivo desta arma, passando a cuidar das questões militares englobando todos os departamentos do antigo Luftkommandoamt (LA).

(esq-dir): Milch, Sperrle, Hitler, Göring e Kesserlring. Para controlar toda a Luftwaffe foi criado o cargo de Oberbefehlshaber der Luftwaffe (Comandante Supremo da Força Aérea). Quem ocupava esta posição era Hermann Göring que também acumulava o cargo de Reichsminister der Luftfahrt (Ministro da Aeronáutica),

Militarmente, o OKL estava subordinado ao Oberkomman-do der Wehrmacht ou OKW (Alto Comando das Forças Armadas) que por sua vez recebia ordens diretas de Hitler. Na prática, uma vez que Göring também era ministro, as ordens, muitas vezes, vinham diretamente do Führer para ele que ignorava o OKW entrando em atrito com os seus líderes.

Antes de se tornar chefe da Luftwaffe, Göring foi ministro do Interior da Prússia. Nessa posição, ele formou seu próprio exército, a partir de um departamento policial de 400 homens (Polizei Abteilung z.b.V. "Wecke") que se transformou num regimento (Regiment General Göring). Quando Göring assumiu a Luftwaffe, ele trouxe o regimento junto com ele (futura Division Hermann Göring). Incluiu as unidades de Flak, posteriormente os regimentos de pára-quedistas (Fallschirmjäger) e criou as divisões de campo (Felddivisionen).

A reorganização seguinte ocorreu em 01.04.1935, com a formação de três outros Abteilungen que se reportariam ao recém criado Oberkommando der Luftwaffe (OKL): Ober-quartiermeister (OQu), Abteilung Fremde Luftmächte e o Abteilung Sanitätswesen (LA/ Med).

Na mesma ocasião três Inspektionen (Inspetorias) foram formadas, cada qual responsável por uma classe de aero-nave: Inspektion der Aufklärungsflieger und des Bildwe sens (Fl In 1), responsável pelos aparelhos de reconheci-mento; Inspektion der Kampfflieger (Fl In 2), responsável pelos bombardeiros e o Inspektion der Jagd und Sturzka-mpfflieger (Fl In 3), que respondia pelos caças e bombar-deiros de mergulho.

Hamburg, 1934

Também em 01.04.1935 o Inspektion des Schulen der Luftwaffe (In Sch) tornou-se Kommando der Schulen (K.d.S.), e o Inspektion der Flakartillerie und Luftschutzes (L In Flak) retornaria ao RLM após permanecer um tempo subordinado ao Exército, com a transferência de todas as unidades antiaéreas do Heer para a Luftwaffe.

Dessa forma, a cadeia de comando foi se alterando nos anos seguintes e no início da guerra em 01.09.1939, o OKL estava estruturado da seguinte forma:

Staatssekretär der Luftfahrt und Generalinspekteur der Luftwaffe

   - Zentralabteilung (ZA)
   - Technisches Amt (LC)
   - Nachschubamt (LE)
   - Amtsgruppe Techn. Wirtschaft und Haushalt

Chef des Generalstabes der Luftwaffe

   - Luftwaffenführungsstab
   - Abteilung Führung (LA I)
   - Abteilung Organisation (LA II)
   - Abteilung Taktik (LA III)
   - Abteilung Quartiermeister (LA IV)
   - Abteilung Fremde Staaten (LA V)
   - Abteilung Rüstung (LA VI)

Chef der Luftabwehr

   - Amtsgruppe Luftverkehr
   - Abteilung Hoheitsverwaltung, Luftaufsicht
   - Abteilung Reichswetterdienst
   - Abteilung Reichsflugsicherung
   - Chef des Verwaltungsamtes
   - Haushaltsabteilung
   - Abteilung Bauwesen

Chef des Luftwaffenpersonalamtes

   - Chefabteilung
   - Amtsgruppe Offiziere
   - Abteilung Wehramt
   - Amtsgruppe Beamte
   - Abteilung allg. Erziehungs- Ehren- und Beschwerde-Angelegenheiten.

Chef des Ausbildungswesens

   - Ausbildungsabteilung
   - Vorschriften- und Lehrmittelabteilung
   - Inspekteur der Heeresflieger
   - Inspekteur der Kampf- und Sturzkampfflieger- und Aufklärungsflieger des ObdL
   - Inspekteur der Jagd-, Zerstörer- und Schlachtflieger und des Waffenwesens
   - Inspekteur der Flakartillerie
   - Inspekteur für Flugsicherheit und Gerät
   - Inspekteur des Kraftfahrwesens
   - Inspekteur der Luftnachrichtentruppe
   - Inspekteur der Marineflieger
   - Inspekteur der Flugzeugführerschulen
   - Inspekteur des Erziehungs- und Bildungswesens der Luftwaffe
   - Inspekteur der Luftlande- und Fallschirmjägertruppe
   - Inspekteur der Flugnavigation
   - Inspekteur des zivilen Luftschutzes
   - Inspekteur des Sanitätswesens

Luftstreitkräfte

   - Luftflotte 1
   - Luftflotte 2
   - Luftflotte 3
   - Luftflotte 4
   - Luftwaffenkommandos
   - Luftwaffenkommando Ostpreußen
   - Fliegerdivisionen
   - Luftwaffen-Lehr-Division
   - Fliegerführer

Erdtruppen der Luftwaffe

   - Luftgaukommandos
   - Luftgaustäbe
   - Luftverteidigungskommandos

No ponto mais baixo (formando a sua base) de toda esta organização Administrativa e Logística da Luftwaffe estava a Luftgau. Tratava-se de uma área territorial de comando dentro da Alemanha (e, posteriormente, dentro dos territórios ocupados), que era a responsável direta pela administração do treinamento de pilotos, manu-tenção, suprimentos e defesa das bases aéreas.

Assim, o Alto Comando da Luftwaffe - a quem cabia praticamente toda a direção e administração tática da Força Aérea durante os anos da II Guerra Mundial compôs-se da seguinte forma:


Principais cargos e seus ocupantes
Reichsminister der Luftfahrt
(Ministro da Aeronáutica)
Reichsminister Hermann Göring
30.01.1933 - 23.04.1945
Oberbefehlshaber der Luftwaffe (ObdL)
(Comandante Supremo da Luftwaffe)
Reichsmarschall Hermann Göring
01.03.1935 - 23.04.1945
Generalfeldmarschall Robert Ritter von Greim
25.04.1945 - 08.05. 1945
   
Der Staatssekretär der Luftfahrt
(Secretário de Estado da Aeronáutica)
Generalfeldmarshall Erhard Milch
22.02.1933 - 20.06.1944
(cargo extinto em junho de 1944)
   
Der Generalinspekteur der Luftwaffe
(Inspetor Geral da Luftwaffe)
General der Flieger Bernhard Kühl
01.02.1938 - 31.01.1939
Generalfeldmarshall Erhard Milch
01.02.1939 - 31.01.1945
Chef der Generalstabes der Luftwaffe
(Chefe do Estado-Maior da Luftwaffe)
Generalleutnant Walther Wever
01.03.1935 - 03.06.1936
Generalfeldmarschall Albert Kesselring
04.06.1936 - 31.05.1937
Generaloberst Hans-Jürgen Stumpff
01.06.1937 - 31.01.1939
Generaloberst Hans Jeschonnek
01.02.1939 - 18.08.1943
Generaloberst Günther Korten
03.09.1943 - 22.07.1944
General der Flieger Werner Kreipe
02.08.1944 - 28.10.1944
General der Flieger Karl Koller
01.11.1944 - 08.05.1945
Chef der Luftwaffenführungsstabes
(Chefe de Operações do Estado-Maior)
General der Flieger Bernhard Kühl
??.??.1935 - 30.09.1935
General der Flieger Wilhelm Mayer
01.10.1935 - 28.02.1937
General der Flieger Paul Deichmann
01.03.1937 - 30.06.1937
General der Flieger Bernhard Kühl
01.07.1937 - 31.01.1938
Generaloberst Hans Jeschonnek
01.02.1938 - 31.01.1939
General der Flieger Otto Hoffmann von Waldau
01.02.1939 - 10.04.1942
Generaloberst Hans Jeschonnek
11.04.1942 - 30.05.1943
General der Flieger Rudolf Meister
01.06.1943 - 03.09.1943
General der Flieger Karl Koller
04.09.1943 - 31.08.1944
Generalmajor Eckhardt Christian
01.09.1944 - 22.04.1945
Generalmajor Karl-Heinz Schulz
23.04.1945 - 06.05.1945
Der Generalluftzeugmeister
(Chefe de Equipamento Aeronáutico)
Generaloberst Ernst Udet
01.02.1939 - 17.11.1941
Generalfeldmarshall Erhard Milch
19.11.1941 - 20.06.1944
(cargo extinto em junho de 1944)
Chef der Luftwehr
(Chefe da Defesa Aérea)
Generaloberst Günther Rüdel
01.02.1938 - 31.01.1939
Generaloberst Hans-Jürgen Stumpff
01.02.1939 - 11.01.1940
Generaloberst Günther Rüdel
12.01.1940 - 31.08.1942



Organização Operacional

Chamamos de Organização Operacional a forma como estava constituída a Luftwaffe para atuar diretamente no campo de batalha. Não se trata, pois, de uma estrutura burocrática mas sim da estruturação da cadeia de comando.

A competência de cada órgão pode ser medida pelo número de aviões que eram englobados por estes. O Luftflottenkommando ou Luftflotte (plural: Luftflotten) eram divididos em bases territoriais e o seu comandante (geralmente um Generaloberst ou outro posto mais graduado) era responsável pelas formações de campo sob ele independente de seu papel operacional (Flak, Bombardeiros, Caças, etc..).

As formações subsidiárias abaixo da Luftflotte, normal-mente em um número específico de cada, eram o Flieger-korps e a Fliegerdivision (ou Jagdkorps e o Jagddivision, no caso específicos dos caças) - esta última liderada pelo Fliegerführer. Estes podiam ser comandos localizados em determinadas regiões e que se tornaram conhecidos em virtude de sua área de competência como, por exemplo, Fliegerführer Atlantik, Fliegerführer Afrika, etc.

Assim, uma determinada unidade de caças seria possivel-mente controlada por um Jagdfliegerführer ou Jafü (Coman-dante dos Caças), que definia seu emprego tático e que, por sua vez, estava subordinado a um Fliegerkorps ou uma Flieger division que, por fim, estava sob controle de determinada Luftflotte.

General Hans Jeschonnek, General Bruno Loerzer e Göring

A fim de se visualizar melhor esta cadeia de comando, passemos a expor cada qual destas estruturas.


a. Luftflotte

Conforme dito, o Luftflottenkommando ou simplesmente Luftflotte (Frota Aérea) eram subdivisões da Luftwaffe responsáveis pelo controle de áreas territoriais preestabelecidas, e eram comandadas pelo Chef einer Luftflotte. No início da guerra, todas as unidades operacionais da Luftwaffe estavam subdivididas entre quatro Luftflotten - todas dentro da Alemanha -, e mais tarde, devido às conquistas territoriais, novas Luftflotten foram formadas. Sua evolução, no decorrer do conflito foi a seguinte:

Divisão territorial das Luftflotten (por ano)
Ano
Luftflotte
1937
Luftflotte 1 - Prússia Oriental
Luftflotte 2 - Nordeste da Alemanha
Luftflotte 3 - Sudeste da Alemanha
Luftflotte 4 - Centro-oeste da Alemanha
Luftflotte 5 - Sul da Alemanha
Luftflotte 6 - Noroeste da Alemanha
Luftflotte 7 - Centro da Alemanha
Luftflotte 1 - Nordeste da Alemanha
Lw.Kdo. See - Noroeste da Alemanha
Luftflotte 2 - Centro-oeste da Alemanha
Luftflotte 3 - Sul da Alemanha
Lw.Kdo. Osterreich
- Áustria
Lw.Kdo. Ost Preussen - Prússia Oriental
Luftflotte 1 - Nordeste da Alemanha
Luftflotte 2 - Noroeste da Alemanha
Luftflotte 3 - Sudoeste da Alemanha e oeste da Áustria
Luftflotte 4 - Sudeste da Alemanha, leste da Áustria
                    e Rep. Tcheca
I Fliegerkorps - Prússia Oriental
Luftflotte 1 - Nordeste da Alemanha, Prússia Or. e norte da Polônia
Luftflotte 2 - Noroeste da Alemanha
Luftflotte 3 - Sudoeste da Alemanha, França, Holanda e Bélgica
Luftflotte 4 - Leste da Áustria, Tchecoslováquia e sul da Polônia
Luftflotte 5 - Noruega e Finlândia
Luftflotte befehlshaber Mitte - Alemanha
Luftflotte 1 - Frente norte da URSS
Luftflotte 2 - Frente central da URSS, sul da Itália e Mediterrâneo
Luftflotte 3 - França, Holanda e Bélgica
Luftflotte 4 - Frente sul da URSS
Luftflotte 5 - Noruega e Finlândia
Luftflotte Reich - Alemanha
Luftflotte 1 - Lituânia, Letônia e Estônia
Luftflotte 2 - Norte da Itália
Luftflotte 3 - França, Bélgica e Holanda
Luftflotte 4 - Hungria, Iugoslávia, Romênia e Bulgária
Luftflotte 5 - Noruega e Finlândia
Luftflotte 6 - Frente central da URSS
1945
Luftflotte Reich - Centro da Alemanha
Luftflotte 1 - Lituânia
Luftflotte 2 - Norte da Itália
Luftflotte 3 - Oeste da Alemanha, Holanda
Luftflotte 4 - Hungria e Iugoslávia
Luftflotte 5 - Noruega e Finlândia
Luftflotte 6 - Leste da Prússia

Obviamente, pela sua importância, as Luftflotten eram comandadas pelos oficiais mais seniores. Sob seus ombros recaia a responsabilidade de levar a cabo as determinações e diretrizes táticas implementadas pelo OKL.

Fora isso, a idéia é que, além de líderes carismáticos, fossem exímios organizadores e que conseguissem a devoção de seus subordinados - características estas essenciais para qualquer comando.

Na foto ao lado, podemos ver o Generalfeldmarschall Albert Kesselring (Comandante da Luftflotte 2) segun do a esquerda, conversanado com o General Bruno Loerzer (Comandante do Fliegerkorps II), observados pelo Generaloberst Hans Jeschonnek (Chefe do Estado-Maior da Luftwaffe) a esquerda e pelo General Speidel (Chefe do Staff da Luftflotte 2) segundo a direita, durante a Batalha da Inglaterra,1940.

Durante a II Guerra Mundial, alguns dos mais experimentados e capazes altos oficiais da Luftwaffe passaram pelo comando das Luftflotten. Tão importantes quanto os pilotos de combate, esses oficiais também devem ser lembrados, devido à sua importância histórica:

Luftflotten e seus comandantes
Luftflotte 1
Generalfeldmarschall Albert Kesselring
01.09.1939 - 11.01.1940
Generaloberst Hans-Jürgen Stumpff
11.01.1940 - 10.05.1940
General der Flieger Wilhelm Wimmer
11.05.1940 - 19.08.1940
Generaloberst Alfred Keller
19.08.1940 - 12.06.1943
Generaloberst Günther Korten
12.06.1943 - 23.08.1943
General der Flieger Kurt Pflugbeil
23.08.1943 - 16.04.1945
Luftflotte 2
General der Flieger Hellmuth Felmy
01.09.1939 - 12.01.1940
Generalfeldmarschall Albert Kesselring
12.01.1940 - 11.06.1943
Generalfeldmarschall Wolfram Freiherr von Richthofen
11.06.1943 - 27.09.1944
(dispersada em setembro de 1944)
Luftflotte 3
Generalfeldmarschall Hugo Sperrle
01.09.1939 - 23.08.1944
Generaloberst Otto Dessloch
23.08.1944 - 22.09.1944
Generalleutnant Alexander Holle
22.09.1944 - 26.09.1944
(redesignada Luftwaffen-Kommando West em setembro de 1944)
Luftflotte 4
Generaloberst Alexander Löhr
01.09.1939 - 20.07.1942
Generalfeldmarschall Wolfram Freiherr von Richthofen
20.07.1942 - 04.09.1943
Generaloberst Otto Dessloch
04.09.1943 - 17.08.1944
Generalleutnant Alexander Holle
17.08.1944 - 27.09.1944
Generaloberst Otto Dessloch
27.09.1944 - 21.04.1945
(redesignada Luftwaffen-Kommando 4 em abril de 1945)
Luftflotte 5
Generalfeldmarschall Erhard Milch
12.04.1940 - 09.05.1940
Generaloberst Hans-Jürgen Stumpff
09.05.1940 - 27.11.1943
General der Flieger Josef Kammhuber
27.11.1943 - 16.09.1944
(dispersada em setembro de 1944)
Luftflotte 6
Generalfeldmarschall Robert Ritter von Greim
05.05.1943 - 24.04.1945
Generaloberst Otto Dessloch
24.04.1945 - 08.05.1945
Luftflotte 10
General der Flieger Hans-Georg von Seidel
01.07.1944 - 27.02.1945
General der Flieger Stefan Fröhlich
27.02.1945 - 30.04.1945
(dispersada em abril de 1945)
Luftflotte Reich
Generaloberst Hans-Jürgen Stumpff
05.02.1944 - 08.05.1945

 


b. Fliegerkorps

A Luftflotte era dividida em um ou mais Fliegerkorps (Corpos Aéreos) de tamanho variável, dependendo de sua área de atuação. Enquanto as Luftgau (Distritos Aéreos) eram responsáveis pela parte administrativa e burocrática, paralelamente os Fliegerkorps eram responsáveis pelas questões operacionais, tais como: implantação, tráfego aéreo, artilharia, manutenção, etc. Apesar de serem subordinados à Luftflotte, muitas vezes operavam com total independência. Um Fliegerkorps poderia ser emprestado para outra Luftflotte dependendo da natureza da operação. Ao todo, existiram 13 Fliegerkorps.

Um Fliegerkorps típico era representado por algarismos romanos e possuía cerca de 300 a 700 aeronaves de todos os tipos (várias Geschwadern), sendo que o número de aeronaves dependia da importância da área e da natureza das operações envolvidas.

 


c. Fliegerdivision - Fliegerführer

Durante o início da organização da Luftwaffe, o Fliegerkorps era dividido em Fliegerdivisionen (Divisões Aéreas). No entanto, durante as reestruturações posteriores, a maioria destas deixaram de existir. Algumas permaneceram em operação na Frente Oriental. Haviam também os comandos localizados, conhecidos como Fliegerführer (Comando Aéreo), tais como Fliegerführer Atlantik, Fliegerführer Afrika, etc. Uma unidade de caças poderia ser controlada por um Jagdfliegerführer ou Jafü (Comando de caças). As Fliegerdivisionen eram lideradas pelo Kommadeurs eines Fliegerdivision.

 


d. Geschwader

O mais alto comando tático (móvel e homogêneo) da Luftwaffe era a Geschwader (Ala). Cada Geschwader possuía apenas aviões de uma determinada especialidade (caças, bombardeiros, bombardeiros de mergulho, etc.) chamadas então de Jagdgeschwader (JG) , Nachtjagdgeschwader (NJG) , Zerstörergeschwader (ZG) , Kampfgeschwader (KG), Schlachtgeschwader (SG ou Sch.G), Sturzkampfgeschwader (St.G), conforme o caso. A sua denominação era composta pelas iniciais de cada especialidade, seguida do seu número em algarismos arábicos (p.ex., JG3, NJG 1, KG55, StG1, ZG26, etc.). Portanto JagdGeschwader de número 51 seria escrito como JG51 e Kampf- Geschwader 2 como KG2.

A grande maioria das Geschwadern também possuía um "Título de Honra" ou apelido que as identificavam. Es ses títulos podiam ser sobrenomes de famosos heróis de guerra, tais como "Richthofen" (JG2), "Hindenburg" (KG1), "Mölders" (JG51), "Bölcke" (KG27) ou simplesmente qualquer outro nome como: "Grünherz" (JG54), "Adler" (KG30), "Pik-As" (JG53), "Totenkopf" (KG54), "Wespen" (ZG1), etc. Por estar no centro de nossos estudos, as informações a seguir referem-se exclusivamente às unidades de caças (Jagdgeschwader).

Os Gruppen eram identificados por um número em algarismo Romano precedendo a identificação da Geschwa der e separados por uma barra. Por exemplo, o 2º Gruppe da Jagdgeschwader 51 seria escrito como II/JG51. Os Staffeln também eram identificados por um número Arábico, precedendo a identificação da Jagdgeschwa-der e separados por uma barra. Portanto: 3./JG51 significa 3º Staffel da JG51.

No inicio do conflito, cada Jagdgeschwader possuía normalmente três Gruppen, totalizando algo entre 120-160 aviões, sendo que o IV Gruppe era uma unidade operacional de treinamento (denominados Ergänzungsgru-ppe), mas que podia ser utilizado em operações se necessário.

Em 1941 algumas Jagdgeschwader já estavam utilizando o IV Gruppe para completar sua formação, sendo que o número de aeronaves passou então para cerca de 160-200 aviões. Em outubro de 1943 as denominadas Kanalgeschwadern JG2 e a JG26 (assim chamadas pelo fato de operarem unicamente na frente do Canal da Mancha) foram as primeiras a incluírem um quarto Staffel em seus Gruppen, aumentando assim o número de aeronaves para cerca de 200 a 270 aviões.

O Geschwaderkommodore, ou simplesmente Kommodore, era o título dado ao seu comandante e podia ser exercido desde um Generalmajor até um Major, possuindo seu próprio Geschwaderstab que era consistituído dos seguintes integrantes:

   - Oficial de Confiança (Adjutant)
     - 1º Assistente do Adjutant - um Oficial Comissionado
     - 2º Assistente do Adjutant - um Oficial Não Comissionado
   - Oficial Maior do Stab (Major Beim Stab)
   - Oficial de Operação (IA/Einsatzoffizier)
   - Oficial Técnico (Technischer Offizier)
   - Oficial de Inteligência (Nachrichten Offizier)
   - Oficial de Armamentos
   - Oficial Administrativo

Além disso, o Kommodore voava suas missões de combate em seu próprio Stabsschwarm, composto normal-mente de 3 ou 4 aeronaves: Adjutant, Major Beim Stab, IA/Einsatzoffizier e o Technischer Offizier.

Número de aeronaves numa Jagdgeschwader
Unidade
Inicio
Metade
Final
GeschwaderStab:
4 aviões
4 aviões
4 aviões
I Gruppe + Stab:
36~48 + 4 aviões
36~48 + 4 aviões
48~64 + 4 aviões
II Gruppe + Stab:
36~48 + 4 aviões
36~48 + 4 aviões
48~64 + 4 aviões
III Gruppe + Stab:
36~48 + 4 aviões
36~48 + 4 aviões
48~64 + 4 aviões
IV Gruppe + Stab:
------------
36~48 + 4 aviões
48~64 + 4 aviões
Total de aviões:
120~160 aviões
160~200 aviões
200~270 aviões

 


e. Gruppe

Até a metade do conflito, cada Gruppe possuía três Staffeln (36~48 aviões), aproximadamente 500 homens e era liderado pelo Gruppenkommandeur ou simplesmente Kommandeur, normalmente um Major no caso de unidades de bombardeiros, e desde um Oberstleutnant até um Hauptmann em caso de unidades de caças. Por sua vez, ele tinha o seu próprio Gruppenstab para voar em missões de combate e auxilia-lo na adminis-tração. No final, alguns Gruppen passaram a contar com um quarto Staffel, totalizando cerca de 48~64 aviões.

Fato interessante é que os Gruppen operavam com grande autonomia e, muitas vezes, distantes uns dos outros muitos quilômetro, o que foi muito comum na Frente Russa. Nesta frente, houve, em várias ocasiões, casos de Gruppen de uma determinada Geschwader que foram temporariamente subordinados a outra unidade, devido ao fato de estarem operando em áreas em comum e distantes de seu comando.

Um caso típico foi o II/JG53 que permaneceu subordinado a JG 54 entre junho e setembro de 1941, enquanto operaram em conjunto no setor norte da antiga URSS no início da Operação Barbarossa.



f. Staffel

Sob o comando direto do Gruppenkommandeur, haviam três e, posteriormente, quatro Staffeln (Esquadrões). O Staffel era a mais baixa formação organizacional da Luftwaffe, possuindo cerca de 12 a 16 aviões, 20 a 25 pilotos, aproximadamente 150 homens (nos casos de caças monomotores - apenas 80 para os caças bimotores) de apoio e era liderado pelo Staffelkapitän, geralmente um Hauptmann ou, em alguns casos, até mesmo um Leutnant. Na ausência temporária do Staffelkapitän, a unidade era liderada pelo Staffelführer. Para as operações táticas os Staffeln eram subdivididos em:

Schwarm: formação composta de quatro aviões (2 Rotten), a mais usada pelas unidades de caças da Luftwaffe. A sua versão mais famosa e consagrada de vôo, criada por Werner Mölders durante a Guerra civil Espanhola era o Vierfingerschwarm ("formação de quatro dedos"), que se tornaria a formação de ataque padrão da Luftwaffe durante a guerra (ver esquema).

Rotte: formação tática elementar composta de dois aviões. Um líder o Rottenführer, e um ala o Rottenflieger. Dois Rotten compunham um Schwarm.

Kette: Formação em forma de V composta de três aeronaves. Essa formação foi utilizada somente por bom-bardeiros.



Organização e Estrutura
Principais Líderes Militares