Astra Modelo 300

De origem espanhola, a Astra Modelo 300 (também chamada de M300), ao contrário de suas contempo-râneas germânicas, não era uma arma inovadora. O mais correto seria afirmar que ela estava no lugar certo e na hora certa: devido à crescente necessidade de armas para os seus homens, a Wehrmacht adquiriu cerca de 85.000 destas armas entre 1941 e 1944, nos calibres 7,65mm Browning e 380 ACP.

Produzida pela tradicional produtora de armas Astra Un-ceta e Cia., sediada em Guernica, a Modelo 300 derivava diretamente de um design que havia surgido com a Astra Modelo 400, uma arma de grande porte em calibre 9mm Bayard e adotada pelo Exército espanhol em 1921, e que também chegou a ser adquirida pelos alemães em meno res quantidades.

De menor tamanho, a Astra M300 não era uma arma des provida de qualidades: introduzida em 1928, tinha um bom acabamento e utilizava materiais de qualidade em sua manufatura, sendo digno de nota a presença de uma tecla de segurança em seu cabo que impedia que a arma disparasse se não estivesse corretamente empunhada, sendo robusta e confiável.

Quando eclodiu a Guerra Civil Espanhola em junho de 1936, a fábrica da Astra ficou em território controlado pelas forças nacionalistas. Quando a cidade de Guernica foi bombardeada pela Legião Condor, em 26 de abril de 1937, - no evento eternizado por Pablo Picasso no quadro do mesmo nome - a fábrica da Astra foi miraculo samente evitada pelos pilotos alemães. Desse modo, quando a cidade foi tomada pelas forças nacionalistas do General Francisco Franco em setembro de 1937, a produção de armamento - inclusive as pistolas Astra 300 - passou a ser controlada pelas forças fascistas.

Interessante notar que todas as pistolas M300 com o nú- mero de série posterior a 526.551 (após 11.09.1937), fo-ram fabricadas já sob controle nacionalista. No entanto, várias pistolas adquiridas por membros da Legião Condor possuíam uma numeração que precedia a conquista da fábrica, indicando que essas armas foram encontradas em estoque e distribuídas aos fascistas.

A partir de 1941, a Wehrmacht fez uma série de contra-tos para aquisição destas armas para suprir a crônica falta de armas pessoais. O Exército compraria um total de 63.000 pistolas M300 em calibre .380 ACP (chamado de 9mm Kurz pelos alemães) entre 18.10.1941 e 21.07. 1944. A Luftwaffe adquiriria outras 22.390 armas em cali-

bre 7,65mm entre 05.01.1942 e 21.07.1944. Com a reconquistada França pelos Aliados, em junho de 1944, a entrega dessas pistolas cessou em razão da interrupção das linhas de comunicação entre a Espanha e as forças nazistas.

As pistolas M300 de uso alemão em calibre .380 ACP possuíam, além dos bancos de prova espanhóis (uma le-tra "P" dentro de um círculo coroado e um escudo com a letra "X" sob um elmo), a marcas de aceitação germânica (os Waffenamts), no caso uma águia sobre a inscrição "WaA251" e na câmara a inscrição "9mm Kurz" (foto ao lado).

As pistolas em calibre 7,65mm não possuíam qual-quer marca de aceitação específica da Wehrmacht. Sobre a porção superior dianteira do cano ficava a logomarca do fabricante.


Importante notar que é possível datar as pistolas espanholas, independente do modelo, em razão da letra que é adicionada junto aos bancos de prova e que, desde 1927 até hoje em dia, são alterados anualmente, de acordo com uma tabela pré-definida (ver tabela).

A Astra Modelo 300 foi fabricada até 1948, quando foi substituída pelo Modelo 3000 que manteve as principais características de sua antecessora.


Dados técnicos
(para a versão em calibre 7,65 mm):
Fabricantes:
Astra Unceta & Cia
Comprimento total:
160 mm
Comprimento do cano:
100 mm
Calibre:
7,65 mm Browning
Peso (descarregada):
700 gramas
Capacidade:
8 cartuchos
Cabos:
Madeira ou plástico
Miras:
fixas



Militaria
Principais armas