Erhard Milch
(1892 - 1972)



Erhard Milch foi, após Hermann Göring, o mais poderoso homem na hierarquia da Luftwaffe e, também, uma de suas mais controvertidas figuras, caracterizando-se por ser um organizador extraordinário e um político ambicioso e maquiavélico.

Milch nasceu na cidade portuária de Wilhelmshaven em 30 de março de 1892, tendo ascendência judia. Ele ingressou na carreira militar como Fähnrich no Fußartillerie-Regiment 1 em outubro de 1910, sendo promovido a Leutnant em agosto do ano seguinte.

Ele serviu com distinção na I Guerra Mundial, sendo condecorado com as Cruzes de Ferro de 2ª e de 1ª Classes, e alcançando o posto de Hauptmann em agosto de 1918. Nesse meio tempo, Milch havia sido transferido para uma unidade Observação Aérea do Corpo Aéreo ger-mânico, tornando-se comandante da Jasta 6 em outubro de 1918.

Após o Armistício, em novembro de 1918, ele se juntou aos Freikorps (Forças Militares contra-revolucionárias de extrema-direita constituídas por voluntários) onde, até 1920 comandou um Esquadrão Aéreo da Polí cia na Prússia Oriental, quando enfrentou rebeliões de comunistas que irrompiam na região.

Com a estabilização do panorama político na Alemanha, Milch iniciou u-ma bem sucedida e meteórica carreira na aviação civil do pós guerra. Ele trabalharia para a empresa Junkers até 1926 quando tornou-se membro do Conselho de Diretores da primeira companhia de transporte aéreo civil de âmbito nacional da Alemanha: a Deutsche Lufthansa. Nos sete anos seguintes Erhard Milch desempenharia um papel chave no desenvolvi-mento desta empresa.

Em 1928 Milch encomendaria a uma fábrica da Bavária um avião de transporte de médio porte. Projetado por Willy Messerschmitt o avião era extremamente bem projetado, mas sofreu um acidente que o destruiu por completo no primeiro vôo e a briga que se seguiu entre Messerschmitt e Milch (na tentativa do primeiro ser pago pelo projeto), criou uma inimizade que duraria décadas.

Walter Oesau (esq) e Milch

Com a ascensão de Hitler ao poder, em 1933, Milch juntou-se ao Partido Nazista, atendendo ao convite de seu amigo Hermann Göring, que havia se tornado o Ministro da Aeronáutica do Reich.

Reintegrado Às Forças Armadas com o posto de Oberst, Milch foi indicado para atuar como Sta-atssekretär der Luftfahrt (Secretário de Estado da Aeronáutica), sendo o responsável, a partir de então, pela seleção de projetos e a produção de arma-mentos (notadamente aviões) para a Luftwaffe. Nesta função - na qual permaneceu até a que-da do III Reich - ele lideraria as empresas ae-ronáuticas durante o rear-mamento com excepcional habilidade, ga-nhando a confiança e o respeito de Hitler e de Göring.


À esta altura, entretanto, começaram a circular rumores sobre o fato de que o pai de Milch era judeu e sua família foi investigada pela Gestapo. Göring (que ainda comandava a temida Polícia Secreta) conseguiu supe rar o pro blema ao persuadir a mãe de Milch a assinar uma declaração a-firmando que seu marido não era o verdadei ro pai, pois se tratava de um filho adotivo. Satisfeitas com a explicação, as autoridades o certifi-caram como um "Ariano Honorário".

Promovido a Generalmajor em 1934, à Generalleutnant em março de 1935 e à General der Flieger em novembro de 1938, Erhard Milch cada vez mais acumulou outras funções igualmente importantes dentro da Luftwaffe.

Afastando os seus adversários, com manobras políticas inescrupulosas ele terminaria, ainda, por se tornar Generalinspekteur der Luftwaffe (Ins-petor Geral da Luftwaffe) em 24.10.1938 e Generalluftzeugmeister (Che fe do Departamento de Técnico de Armamentos) após a morte de Ernst Udet, em novembro de 1941.


Após a II Guerra Mundial eclodir, em setembro de 1939, o Generaloberst Milch foi designado também para o comando da Luftflotte 5, a qual liderou durante a vitoriosa Campanha da Blitzkrieg conduzida pela Wehrmacht na primavera de 1940, incluindo o comando de todas as operações aéreas du rante a ocupação da Noruega. Em 05.05.1940 ele foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro sendo, por fim, promovido a General feldmarschall em 19 julho de 1940.

O ano de 1942 viu Milch continuar a acumular cargos estratégicos dentro do III Reich, ao tornar-se virtual ditador de todo o transporte aéreo na Ale-manha, papel que desempenhou em parceria com seu amigo e aliado po-lítico Albert Speer (1905-1981), depois nomeado Ministro de Armamentos. Ambos tentaram alertar Hitler e Göring sobre a necessidade de se produ-zir mais caças ao invés de bombardeiros, mas falharam.

Devido a estas (e outras) desavenças, Milch foi perdendo seu prestígio jun to ao Alto Comando e foi, gradativamente, perdendo seus cargos. Em 1944 ele sofreu um acidente automobilístico que praticamente o afastou de suas funções. Com a derrocada do III Reich, Milch tentou voar em direção à cos-ta do Mar Báltico, mas foi capturado em 04 de maio de 1945.

Levado a julgamento pelo 2º Tribunal de Nuremberg, Milch foi condenado em 17 de abril de 1947 à prisão perpétua como criminoso de guerra. Em 31 de janeiro de 1951, o Alto Comissariado Americano comutou sua sentença para quinze anos de prisão, mas ele foi por fim anistiado e libertado em 04 de junho de 1954.

Erhard Milch continuaria a trabalhar como consultor industrial em Düsseldorf nos anos seguintes, vindo a falecer em Wupperthal em 25 de janeiro de 1972, aos 79 anos de idade.



História da Luftwaffe
Organização e Estrutura