Maschinengewehr FF
(MG FF/MG FFM)




Em 1924 a empresa suíça de ferramentas Oerlikon, situada em Zurich, comprou as patentes de um canhão automático multiuso desenvolvido por um engenheiro de nome Becker, iniciando sua produção e venda para o mercado internacional. Nos 15 anos seguintes seriam vendidas cerca de 500 armas para 28 países diferentes. Então, a partir de 1938 grandes encomendas começaram a ser efetuadas por vários países, sendo que a em-presa expandiu sua linha de produção.

O principal motivo foi que, a partir de 1938, as principais Forças Aéreas do mundo desenvolveram um interes-se grande sobre a utilização de canhões automáticos em suas aeronaves. Coincidentemente, a Oerlikon havia desenvolvido várias versões leves de sua arma para esse propósito. Tanto a Alemanha como o Japão compra-ram as licenças para produzirem tais armas, enquanto que os EUA e a Inglaterra utilizaram a versão antiaérea em suas marinhas.

A Luftwaffe utilizou duas versões com pequenas diferenças entre elas, conhecidas como MG FF e MG FFM. Apenas algumas das MG FF foram produzidas na Suíça, sendo que a maioria da produção foi feita pela empre sa Ikariawerke, na cidade de Velten, alguns quilômetros ao norte de Berlim.

A razão para a compra desta arma estrangeira pela Luftwaffe às vésperas da II Guerra Mundial veio da conclu-são de que o desenvolvimento dos armamentos dos aviões estava baseado no conceito errado. Os combates aéreos durante a Guerra Civil Espanhola tinham provado a necessidade de um grande volume de fogo de projé teis explosivos nos duelos entre aeronaves. Contudo, a proposta da Luftwaffe de destruir os adversários com apenas uns poucos disparos à longa distância mostrou ser impraticável com os armamentos então utilizados. Deste modo, um canhão automático era desesperadamente necessário e, como o MG FF já estava disponível em grandes quantidades, tornou-se uma escolha natural.

Utilizando o calibre 20 X 80mm (com projétil de 135 gramas) e com uma cadência de fogo de 500 dispa-ros por minuto, o MG FF operava com o ferrolho aberto. Era municiado por carregadores em forma de tambor de 15, 45, 60 ou 100 cartuchos. Os canhões empregados pela Luftwaffe em seus aviões utilizava o sistema de disparo eletropneumático, através de controle remoto. O ferrolho funcionava no sistema de "blowback" (a movi-mentação do ferrolho ocorria unicamente em razão da pressão dos gases resultantes do disparo do cartucho), e o ferrolho possuía um mecanismo que fazia com que o percursor disparasse o cartucho antes de estar com-pletamente fechado.

A versão MG FFM era exatamente a mesma arma com mudanças no design para permitir o uso de projéteis de 115 gramas. O peso mais leve na verdade ocultava uma quantidade muito maior de explosivos, e possuía a marca "M" em sua base a fim de evitar o uso na arma incorreta. Com sua introdução, o modelo anterior MG FF foi sendo gradualmente retirado de serviço.

Dados Técnicos
Fabricante:
Originalmente Oerlikon (Suiça)
Sob licença: Borno, Borsig e Mauser
Descrição:
MG-FF
MG-FFM
Munição:
20 x 80 mm (135 g)
20 x 80 mm (115 g)
Peso:
24-28 kg
24-28 kg
Comprimento:
1,34 m
1,34 m
Velocidade do projétil:
570-600 m/s
690-700 m/s
Cadência de tiros:
500 tiros/min
500 tiros/min
Tipo do projétil:
Explosivo, incendiario ou perfurante



Armamentos
Militaria