Günther Korten
(1898 - 1944)

Günther Korten nasceu em Colônia no dia 26 de julho de 1898, filho do arquiteto Hugo Korten (1855-1931) e sua esposa Marie Korten (1866-1942). Entrou para o exército em 02.09.1914 como recruta do 34º Regimento de Artilharia. Em 03.12.1914 foi transferido como Fahnenkunker para o 8º Batalhão de Engenheiros onde permaneceu até o final do conflito, sendo condecorado com a Cruz de Ferro de 2ª e 1ª classes. Após a I GM, o agora Leutnant Korten continuou a sua carreira militar como engenheiro, até ser selecionado em 1928 para participar do programa secreto de formação de pilotos em Lipetz na União Soviética. Ao retornar no ano seguinte à Alemanha de Weimar, ele se juntou ao "Bildstelle Berlin".

Quando o Terceiro Reich começou o seu programa de rearmamento, Korten, então como Hauptmann, entrou oficialmente para a ainda secreta Luftwaffe em 1934. Em 01.10.1935, já promovido a Major, iniciou o curso de formação de oficial do estado-maior. No ano seguinte, tornou-se comandante da base aérea de Prenzlau. Em 01.01.1937 foi promovido a Oberstleutnant e em outubro tornou-se chefe de departamento (LP VI) no RLM. Em 18.03.1939 foi nomeado chefe do comando-geral da Luftflotte 4 - então baseada na Áustria - sendo no mês seguinte promovido a Oberst.

No início de 1940, Korten foi transferido para o comando-geral da Luftflotte 3, onde atuou durante a Campanha da França e da Batalha da Inglaterra, sendo promovido a Generalmajor em 19.07.1940. Em janeiro de 1941 foi transferido de volta para a Luftflotte 4, a fim de participar da campanha dos Bálcãs e da invasão da União Soviética (Operação Barbarossa) sendo condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 03.05.1941. Em agosto de 1942 ele foi promovido a Generalleutnant e assumiu o comando do Fliegerkorps I, que lutou no setor sul da frente oriental, sendo transferido temporariamente para o "Luftwaffenkommando Don" durante a Batalha de Stalingrado.

No início de 1943 Korten recebeu a Cruz Germânica em Ouro e foi promovido a General der Flieger. Em 26.06.1943 assumiu o comando da Luftflotte 1 no lugar de Alfred Keller. Algumas semanas depois, em 25 de agosto, ele aceitou o convite para assumir o cargo de Chef der Generalstabes der Luftwaffe (Chefe do Estado-Maior da Luftwaffe), após a morte de Hans Jeschonnek.

Quando o bombardeio ofensivo anglo-americano começou a ameaçar seriamente o controle do espaço aéreo, a liderança da Luftwaffe respondeu vigorosamente. Korten deu início à tarefa de criação de uma “cobertura de aeronaves de caça sobre o Reich”. Ele pertencia ao “círculo dos defensivos”, que incluía Adolf Galland e Erhard Milch. Korten robusteceu a organização da defesa aérea por meio da criação da Luftflotte Reich, em fevereiro de 1944, a qual centralizou todo o armamento antiaéreo, aeronaves de caça e funções de coman-do e controle.

Ao mesmo tempo, e em conformidade com a doutrina básica da Luftwaffe, a reforma de Korten também preconizou podero-sas forças de bombardeiros para os teatros de operações leste e oeste a fim de permitir à Luftwaffe desempenhar suas operações estratégicas. Desta forma, o programa de Korten trouxe um incremento ao poder e à eficácia das defesas aére-as alemãs.

No dia 20.07.1944 Korten foi gravemente ferido durante uma visita a Wolfsschanze (Toca do Lobo) no famoso atentado à bomba feito pelo Oberst Claus von Stauffenberg na tentativa frustrada de assassinar Hitler. Dois dias depois do atentado, Korten não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital militar localizado junto ao quartel-general do Führer. Assim como aconteceu com as outras vítimas militares (Generalmajor Rudolf Schmundt e Oberst Heinz Brandt), Korten foi promovido postumamente, no seu caso a Generaloberst. Ele foi sepultado no Memorial Tannenberg. Quando os russos chegaram, seu corpo foi exumado e enterrado no cemitério Friedhof Bergstraße em Steglitz-Berlim.


História da Luftwaffe
Organização e Estrutura