Defesa do Reich
(Reichsverteidigung)


Em meados de 1943 um grande número de caças alemães foi empregado para tentar conter as ofensivas dos "bombardeios estratégicos" norte-americanos (diurnos) e ingleses (noturnos). Nesse período, foram criados novos esquemas de identificação das aeronaves através de insígnias especiais na fuselagem, com o objetivo de distinguir melhor e mais rapidamente as unidades de caça da Luftwaffe e dos caças de escolta Aliados, os quais apareciam cada vez mais, em maior número e agressividade.

O primeiro esquema que surgiu, foi o de pintar toda a parte vertical da calda do avião (inclusive o leme) na cor branco. Porém este método não identificava as unidades, e permaneceu por um curto período de tempo.


ou

Outro sistema similar que surgiu em seguida foi o de pintar espirais em preto e branco no cone da hélice. Este método durou até o fim da guerra, porém ainda não estava completo.




Menção especial deve ser feita para o I./JG1, que utilizou uma variante de padrão de identificação por cores, qual seja, a pintura da carenagem do motor de seus Fw 190A em xadrez ou listas horizontais . As cores podiam ser preto-branco, preto-vermelho e preto-amarelo, dependendo do Staffel 1, 2 ou 3. (O mesmo esquema era utilizado para o cone da hélice). As listas horizontais sobreviveram ao xadez, visto que a partir de outubro de 1943, os P-47 Thunderbolt do 78th Fighter Group que eram pintados com um xadrez semelhante, passaram a operar na mesma área que a JG1, dificultando os artilheiros anti-aéreos em distinguir entre os Fw 190 e os P-47.


Fw 190A-4 - Hptm. Fritz Losigkeit, Gruppenkommandeur I./JG1 - Arnhem, 1943.





O problema de identificação atingia não apenas os caças monopostos, mas também os caças pesados bimotores conhecidos na Luftwaffe como Zerstörer, que até o advento das escoltas aliadas, eram os mais efetivos na prática de derrubar bombardeiros. Essas unidades empregaram o sistema de faixas verticais coloridas em amarelo, branco ou vermelho-amarelo.

No inicio de 1944, a JG1, JG3 e JG27 começaram a usar uma faixa de cor única na parte de trás da fuselagem, afim de identificar suas respectivas Geschwader. Essa faixa localizava-se mais precisamente entre a cruz e a cauda do avião. Outras unidades como a JG11, JG300 e JG301 adotaram o mesmo esquema. No entanto, o uso destas faixas foi sendo abandonado até o verão de 1944.



Quando as unidades de caças responsáveis pela defesa do Reich foram reorganizadas em outubro de 1944, as faixas coloridas foram adotadas definitivamente. Devido ao número limitado de cores básicas, apareceram também as faixas bicolores e tricolores afim de criar uma identificação única para cada Geschwader existente, através da combinação de cores. A largura total de cada faixa era de 900 mm, sendo 450 mm para cada cor, no caso de faixas bicolores, e 300 mm no caso das faixas tricolores. Porém, como era de prática normal entre as unidades de caça da Luftwaffe, muitas delas tinham suas próprias variações e modificações em relação a este esquema.



As duas últimas representações de identificação (em xadrez) eram empregadas pelas unidades ISS, ou Esquadrões de Proteção Industrial, que utilizavam-se dos revolucionarios jatos Messerschmitt Me 262.

A JG7 que também era equipada com os Me 262, antes de passar para a faixa bicolor azul-vermelha, utilizava uma faixa amarela mais estreita.





Durante a primavera de 1945, várias unidades começaram a pintar faixas coloridas também no nariz de seus caças, logo atras do cone da hélice. Estas faixas não substituíam as anteriores, embora em algumas aeronaves isto tenha ocorrido. As cores usadas eram o amarelo, verde, vermelho, branco e preto. Isso aconteceu principalmente nas unidades baseadas no sul da Alemanha. Essa pintura não tinha padrão RLM. Como de costume, apareceram variações deste esquema, tais como localização e tamanho.



Finalmente, durante as últimas semanas de guerra, essas faixas praticamente desapareceram das aeronaves, enquanto o III Reich ia agonizando. No entanto, é interessante ressaltar que a JV44 fez exatamente o contrário, ou seja, passou a pintar a parte inferior de seus aviões com listas em vermelho e branco, ou preto e branco ou ainda azul e branco.


Insígnias na fuselagem
Glossário de termos alemães.