Escudos de Campanha
(Ärmelschild)

Os escudos comemorativos de campanhas (Ärmelschild) eram condecorações entregues a soldados que tivessem participado de campanhas ou batalhas específicas e que fossem particularmente bem sucedidas ou notavelmente violentas. Estes escudos - que antecederam as braçadeiras de Campanha (Ärmelbanden) - deveriam ser permanentemente utilizados na parte superior do braço esquerdo do uniforme ou sobretudo.

 

Narvikschild

O primeiro escudo instituído foi o Narvikschild, criado em 19 de agosto de 1940 para ser entregue aos soldados que participaram da conquista do porto de Narvik, durante a Campanha da Noruega, entre 09.04 e 09.06 daquele ano - o que privou os soldados britânicos lá estacionados de seu último baluarte em terras norueguesas.

A parte superior apresenta uma águia da Wehrmacht sobre a palavra-título "Narvik". O centro inclui um Edelweiss (flor típica das montanhas do centro da Europa) que representava as tropas de montanha do Generaloberst Eduard Dietl; uma âncora representando os destroiers do Kommodore Bonte e uma hélice da Luftwaffe (representando os aviões que propiciaram o apoio às tropas terrestres e a superioridade aérea).

Sua coloração era prateada para o Exército e Força Aérea, e dourada para a Marinha. Ao todo foram entregues 2.161 Narvikschild para a Luft-waffe. Entre os condecorados estava, por exemplo, Helmut Lent.

Robert Kowalewski e seu Narvikschild.

 

Cholmschild

O Cholmschild foi criado em 01 de julho de 1942 para os soldados que mantiveram a cidade fortificada de Cholm (ou Kholm) contra as esmagadoras forças soviéticas entre 21.01 e 05.05.1942. Os soviéticos lançaram 100 ataques de infantaria e 42 assaltos blindados contra as forças alemãs cercadas sem qualquer resultado. Produzido em zinco estampado, apenas 5.500 foram entregues ao todo e, como muitos de seus recebedores morreram posteriormente na guerra, trata-se do exemplar mais raro.

 

Krimschild

Já o Krimschild, instituído em 25 de julho de 1942, foi o mais difundido, com cerca de 250.000 entregues. Os elegíveis eram todos os soldados da Wehrmacht que, sob as ordens do Generalfeldmarschall Erich von Manstein (1887-1973), participaram da conquista da península da Criméia e dos portos russos do Mar Negro entre 21.09.1941 e 04.07.1942. Entre este pessoal encontravam-se os pilotos da Luftwaffe que participaram dos combates naquela frente, entre as quais a JG 52 e a JG 77 "Herz As".

 

Demjanskschild

O Demjanskschild foi autorizado em 25 de abril de 1943 para ser utilizado pelos 96.000 soldados sob comando do General Brockdorf-Ahlefeld, que ficaram isolados em um bolsão na localidade de Demjansk, a 160 km a noroeste de Cholm, em 08.02.1942. Embora tenham rompido o cerco em 21 de abril, as lutas naquelas cercanias perduraram até meados de outubro daquele ano. Graças à resistência feroz dos alemães - notadamente da infame 3ª Divisão SS "Totenkopf" - os soviéticos tiveram comprometidas três divisões inteiras - que eram necessárias em outros lugares. Os alemães foram mantidos graças a uma incrível ponte aérea montada pela Luftwaffe e suas unidades de transporte - daí a incorporação de uma hélice de avião ao escudo. Os pilotos envolvidos também eram elegíveis para esta condecoração, sendo que os critérios eram: ter voado 50 missões de combate sobre a região sitiada ou ter voado (e entregue) 50 missões de suprimento para as forças cercadas.

 

Kubanschild

O Kubanschild foi instituído em 20 de setembro de 1943 pelo Generalfeldmarschall Ewald von Kleist (1882-1954) em reconhecimento ao desempenho de seus homens que lutavam por suas vidas na cabeça-de-ponte de Kuban, entre o Mar de Azov e o porto naval soviético de Noworossijsk. A defesa deste território começou em 12.02.1943, sendo que os alemães resistiram a contínuos ataques até ser dada a ordem de evacuação, em 04 de setembro. Os nomes das batalhas mais significantes travadas durante essa campanha (Lagunen, Krymskaya e Noworossijsk) estão gravadas neste escudo, que foi confeccionado em metal ou zinco estampados com acabamento em bronze. As condecorações entregues à Luftwaffe eram baseadas em um complicado sistema de pontuação.

 

Todos os escudos eram entregues tendo seu reverso coberto com lã ou rayon na cor apropriada de cada força armada (a Luftwaffe, os tinha na sua tradicional cor azul-acinzentada). O reverso ainda possuía geralmente quatro pequenos ganchos (que atravessavam o tecido) e que permitiam que fossem costurados na manga do uniforme. Há um sexto escudo oficialmente criado, o Lapplandschild (para as tropas que lutaram na península de mesmo nome, situada na Finlândia), no fim da guerra. Contudo, como só foi oficializado em 01.05.1945 (seis dias antes da rendição), portanto muitíssimos poucos (se algum) foram entregues. Existiram ainda outros escudos de campanha, mas que não são reconhecidos como condecorações oficiais, tais como: Lorientschield (França, 1944), Duerkinschild (França, 1944), Memelschild (Memel - Frente Oriental, 1944/45).


 

Condecorações
Marcações na Fuselagem