Josef Würmheller
(1917 - 1944)

Major
JG53 e JG2
+300 missões de combate, 102 vitórias (~20 quadrimotores, 56 Spitfires)
Morto em ação (22/06/1944)

Josef "Sepp" Würmheller teve uma carreira surpreendente, não apenas em razão de ter se tornado um dos maiores ases da Luftwaffe na Frente Ocidental, mas também em virtude de ter superado as limitações de uma origem humilde para se consagrar como um dos pilotos alemães mais condecorados da II Guerra Mundial, res peitado por seus superiores e por seus adversários.

Nascido no seio de uma família proletária, na cidade de Hausham, em O-berbayern (Alta Baviera), Alemanha, no dia 04 de maio de 1917, Wurmhe-ller viveria uma infância em meio às privações impostas pela crise econô- mica que afligiu a Alemanha após a sua derrota na Primeira Guerra Mun-dial. Mesmo assim, graças à sua perseverança, ele - que chegou a traba-lhar como mineiro - conseguiria, antes de completar 20 anos de idade, fre qüentar aulas de vôo e receber seu brevê de piloto tanto para planadores quanto para aeronaves motorizadas.

Deste modo, após concluir seu período de seis meses junto ao Reichsar-beitdienst (Serviço de Trabalho do Reich), Würmheller voluntariou-se, em 1937, para ingressar na Luftwaffe, onde foi designado para receber treina-mento especializado em uma Jagdfliegerschule (Escola de Pilotos de Ca- ça).

Concluindo o treinamento no verão de 1938, "Sepp" seria incorporado ao 2./JG 334 (2º Staffel da Jagdgeschwader 334) com o posto de Gefreiter. Pouco antes da guerra, sua unidade seria renomeada 2./JG 53 - a famosa "Pik-As" Geschwader.

A II Guerra Mundial viria em setembro de 1939. No dia 30 daquele mês, alguns Bf 109E do I./JG 53 (Gruppe I da JG 53) interceptaram uma formação de cinco bombardeiros monomotores Farey Battle próximo a Saarbrü- cken. Os bombardeiros pertenciam ao 150o. Esquadrão da RAF, uma unidade de reconhecimento armado. Em apenas vinte minutos de combate, os pilotos alemães reivindicaram cinco bombardeiros abatidos, um de-les derrubado por Würmheller que, dessa forma, obteve sua primeira vitória aérea, pela qual foi condecorado com a Cruz de Ferro de 2ª Classe. Depois desta derrota, os ingleses cancelaram todas as patrulhas aéreas que atravessavam as fronteiras alemãs.

Entretanto, após esse sucesso inicial, Würmheller foi retirado da frente de combate em novembro de 1939, assumindo a função de instrutor de vôo em uma Jagdfliegerschule. Ele somente retornaria ao combate em junho de 1940, quando foi designado para servir junto ao 5./JG 53. Nesta unidade ele participaria da mais difícil campanha que a Luftwaffe enfrenta ra até então: a Batalha da Inglaterra.

Lutando contra os bem treinados e motivados pilotos da RAF, Würmhe-ller derrubaria quatro adversários durante esse período, mas foi obrigado a fazer dois pousos forçados em pleno Canal da Mancha sendo resgatado pelas patrulhas aéreas alemãs. No entanto, na segunda ocasião em que foi abatido, em 23 de novembro de 1940, à bordo de seu Bf 109E-4 (W.Nr. 5212), os ferimentos ocasionados pelo pouso nas águas do Canal o mantiveram em um hospital até março de 1941.

Após o retorno à sua unidade, promovido a Feldwebel, Würmheller final-mente iniciaria uma seqüência de sucessos invejável. Em 07 de maio de 1941 ele derrubou, após um combate de apenas um minuto, dois caças Spitfire da RAF - suas vitórias de números 9 e 10 - sendo condecorado

com a Cruz de Ferro de 1ª Classe. Com o início da Operação Barbarrossa, a invasão da URSS, toda a JG 53 seria transferida para a frente oriental. Combatendo contra um adversário mal treinado e nos comandos do Bf 109F-2 "Schwarz 3 + -", "Sepp" Würmheller derrubaria nada menos que nove aviões soviéticos, no período de apenas um mês.

No final do mês de julho de 1941, o já Oberfeldwebel Wür-mheller seria novamente transferido para a frente ocidental juntando-se ao Stabsstaffel do II./JG 2 "Richthofen". Nos meses seguintes, ele se transformaria em um dos mais perigosos e ferozes inimigos da RAF nos combates sobre a França e Canal da Mancha. Abatendo outros treze aviõ- es britânicos nesse período, Josef Würmheller seria conde corado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 04 de setembro de 1941, quando já havia acumulado um total de 31 vitórias aéreas confirmadas.

Contudo, novamente após receber a Ritterkreuz ele seria retirado da frente de combate e enviado às unidades de treinamento, como modo de transmitir aos cadetes seus conhecimentos em técnicas de combate aéreo. Ele so-mente retornaria à frente de batalha em maio de 1942 jun-

tando-se ao 1./JG 2 (1º Staffel da JG 2), sob comando do ás Rudolf "Rudi" Pflanz. Nesse mesmo mês Würm-heller alcançaria outras 10 vitórias confirmadas contra aeronaves britânicas (todas Spitfire) e, em junho, outros 11 caças Spitfire tombariam sob o fogo de suas armas.

Em destaque, o leme do Fw 190 de Würmheller ornamentado com 74 vitórias e o desenho  de uma Cruz de Cavaleiro com Folhas de Carvalho.

Em 19.08.1942, os Aliados lançam sua primeira tentativa de invadir a Europa ocupada, efetuando desembarques anfíbios na cidade por-tuária de Dieppe (Bélgica), apoiados por pesada cobertura aérea. Os caças da Luftwaffe decolaram para dar combate aos invasores e, en-tre eles, Würmheller, agora nos comandos do novo Focke-Wulf Fw 190. Aquele seria seu dia mais memorável.

Em contínuos duelos contra os aviões da RAF, Würmheller permane ceria em combate durante todo aquele dia, voando, pousando e rea-bestecendo continuamente e, mesmo após ter que fazer um pouso forçado, durante o qual ele fraturou uma perna e sofreu uma contus-são, ele continuou pilotando engessado. Ao final daquele dia, ele ha-via derrubado nada menos que sete adversários (6 Spitfires e 1 Blenheim). Por esse feito de coragem, "Sepp" seria condecorado com a Cruz Germânica em Ouro em 21 de agosto de 1942. Por fim, Würmheller seria condecorado por Hitler com as Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro em 13 de novembro de 1942 - tornando-se o 146º soldado da Wehrmacht a receber esta honraria -, quando já acumulava um total de 60 vitórias aéreas.

Promovido a Leutnant, Würmheller seria também designado Staffelkapitän do 9./JG 2 "Richthofen" em 1º de abril de 1943. Agora enfrentando também os aviões da 8ª Força Aérea americana - incluindo seus grandes bombardeiros quadrimotores - , seu número de vitórias não cessaria de aumentar, a despeito da superioridade númerica cada vez maior de seus adversários. Em 17 de maio ele alcançaria sua 70ª vitória confirmada, ao a-bater uma bombardeiro quadrimotor Boeing B-17 da USAAF.

No entanto, Würmheller seria novamente ferido em comba-te, quando foi obrigado a fazer um pouso forçado com seu Fw 190A-6 (W.Nr. 530 314) "Gelb 2" enquanto sua base em Vannes-Meuçon estava sendo atacada por bombardei-ros, sendo atingido por estilhaços das bombas. Isso o manteria mais algum tempo afastado dos combates, mas ele retornaria à ativa no fim daquele mesmo ano. Promovi-do a Hauptmann, ele alcançaria sua 90ª vitória aérea em 08 de março de 1944.

Em 06 de junho de 1944 os Aliados iniciam a Operação O verlord - o chamado Dia D: a invasão da Europa. A Luftwa-ffe pouca resistência poderia oferecer diante da gigantesca força reunida pelos anglo-americanos.

Nesse cenário difícil Würmheller seria nomeado Gruppen-

Walter Oesau (esq.) e Würmheller ao lado do avião deste último, 1942.
kommandeur do III./JG 2. Nas difíceis batalhas que se seguiram nos céus da Normandia em junho de 1944, ele alcançaria sua 100ª e 101ª vitórias em 12 de junho de 1944. Sua última vitória viria quatro dias depois diante de um P-51 Mustamg.

Em 22 de junho de 1944, a Luftwaffe lançou uma contra ofensiva com 427 caças e 80 bombardeiros contra as tro-pas aliadas em uma tentativa desesperada de conter a in-vasão. Ferozes combates se seguiram contra os Mustan-gs e Thunderbolts da USAAF. Para as 19 vitórias obtidas pelos alemães, 28 aeronaves foram perdidas e 15 pilotos foram mortos. Um destes foi Würmheller que, em um com bate a baixa altitude, colidiu com seu Rottenflieger e termi nou por chocar-se contra o solo na localidade de Aleçon (França), sem qualquer chance de escapar de seu Fw 190 A-8 (W.Nr. 171 053).

Como reconhecimento tardio deste grande piloto, Hitler o condecoraria, em caráter póstumo, com as Espadas da

Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 24 de outubro de 1944 - o 108º soldado a ser agraciado - , ocasião em que também foi promovido post mortem ao posto de Major.

Quando de sua morte, o Major Josef Würmheller havia voado mais de 300 missões de combate, ao longo das quais acumulou nada menos que 102 vitórias aéreas, todas, com exceção de nove aviões soviéticos, obtidas na frente ocidental (entre os quais pelo menos 20 bombardeiros quadrimotores e 56 Spitifires).



Fw 190A-5 - Oblt. Josef Würmheller, Staffelkapitän 9./JG 2 - França - Setembro, 1943




Ficha do Piloto
Unidades:
- Jagdgeschwader 53 "Pik-As"  
- Jagdgeschwader 2 "Richthofen" - Staffelkapitän 9./JG 2 (1.4.43)
- Kommandeur III./JG 2 (8.6.44 - 22.6.44)
Aeronaves:
Messerschmitt Bf 109
Focke-Wulf Fw 190
Campanhas:

Blitzkrieg
Batalha da Inglaterra
Frente Oriental
Defesa do Reich

Promoções:
 
Condecorações:
- 19.10.1939 - Cruz de Ferro de 2ª classe
- ??.05.1941 - Cruz de Ferro de 1ª classe
- 30.08.1941 - Troféu de Honra
- 04.09.1941 - Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro...................................(312º)
- 21.08.1942 - Cruz Germânica em ouro................................................(1/231)
- 13.11.1942 - Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro ..........................(146º)
* 24.10.1944 - Espadas da Cruz de Cavaleiro .........................................(108º)
* Em caráter pótumo.

 




Principais Ases
Principais Aviões