Werner Schröer
(1918 - 1985)

Major
JG27, JG54 e JG3
197 missões de combate, 114 vitórias (26 quadrimotores, 40 P-40s)
Prisioneiro de Guerra

Pouquíssimos pilotos da II Guerra Mundial podem se gabar de terem abatido mais de 100 aviões inimigos e terem sobrevivido aos violentos combates. Menos ainda foram aqueles que alcançaram esse feito diante dos seus adversários ingleses e americanos na Frente Ocidental e no Mediterrâneo, que eram melhor treinados e equipados que seus aliados soviéticos. Werner Schröer foi um destes afortunados e implacáveis ases da Luft-waffe que conseguiu ambas as coisas.

Werner Schröer nasceu em 12 de fevereiro de 1918 na ci dade de Mulheim, no Vale do Ruhr, Alemanha.

Depois de concluir seu período de treinamento junto à RAD (Reichs-ArbeitDienst - Serviço de Trabalho do Reich), em 1937, ele se juntou ao Exército alemão mas, ainda naquele ano , foi transferido para a Luftwaffe, onde foi destacado para servir com o pessoal de terra no 4. Kompanie Flieger-Ersatzabteilung 24.

Contudo, Schröer permaneceria pouco tempo nessas fun ções, sendo enviado para a Escola de Pilotos de Caça (Jagdfliegerschule) em 1938. Em 16.05.1940 ingressou na Jagdfliegerschule 1 onde permaneceu até 20.07.1940.

Em 23.08.1940, no auge da Batalha da Inglaterra, Schrö er seria novamente transferido, desta vez para o 2./JG 27

Com essa unidade ele realizaria suas primeiras missões de combate sobre as ilhas britânicas e, embora te-nha abatido três aviões inimigos, essas vitórias não foram confirmadas.

A grande fase de Schröer viria a partir de março de 1941, quando foi transferido para o 1./JG 27, então atuando no norte da África e Mediterrâneo, em apoio às forças do Afrika Korps do General Erwin Rommel. Em 19.04. 1941 ele obteve sua primeira vitória confirmada ao derrubar um caça Hurricane e, até o final daquele ano, o Leutnant Schröer somava um total de sete aviões abatidos.

Em março de 1942 Schröer foi nomeado Gruppenadjutant do I./JG 27 (Gruppe I da JG 27) e, durante o verão daquele ano, ao lado do lendário Hans-Joachim Marseille, eles se tornariam os mais bem sucedidos pilo tos da Luftwaffe nos céus da Líbia e Egito. Nomeado Staffelkäpitan do 8./JG 27 em 01.07.1942, Schröer derrubou nada menos que 16 inimigos naquele mesmo mês (suas 16ª a 31ª vitórias - sendo três no dia 13.07. 1942) e foi condecorado com o Troféu de Honra da Luftwaffe no dia 06. 08.1942.

No mês de setembro de 1942, outros 13 adversários tombaram sob o fogo de suas armas - seis dos quais (35ª a 40ª vitórias) no dia 15.09. 1942 -, sendo condecorado com a Cruz Germânica em Ouro no dia 09. 09.1942. Mesmo após a trágica morte de Marseille, Schröer continuaria a enfrentar com sucesso os seus adversários e, em outubro de 1942, ele acrescentou outras 15 vitórias (45ª a 59ª) ao seu total.

Finalmente, pelos seus feitos o Leutnant Werner Schröer foi condecora-do com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 20.10.1942 , após con quistar sua 49ª vitória. Três dias depois, ele chegou à marca de 50 vitó-

rias confirmadas, ao derrubar um Curtiss P-46 e, em 04.11.1942, o Oberleutnant Schröer derrubou um bombar-deiro quadrimotor B-24 Liberator - sua 60ª vítima.

No início de fevereiro de 1943, com o colapso iminente das forças alemãs no norte da África, a unidade de Schröer foi transferida para o Mar Egeu, operando a partir da ilha de Creta. Pouco após sua chegada, em 11. 02.1943, ele derrubou dois bombardeiros bimotores B-26 Marauder. Promovido a Hauptmann em fevereiro de 1943, Schröer foi nomeado Gruppenkommandeur do II./JG 27 em 20.04.1943, que passou a operar a partir de bases na Sicília e sul da Itália.

Entre 29.04 e 23.07.1943, Werner Schröer logrou derrubar nada me-nos que 22 aviões ingleses e americanos (64ª a 85ª vitórias) - sendo que o 70º adversário (um Boeing B-17) tombou em 11.05.1943 e o 80º no dia 10.06.1943 - dentre os quais nada menos que doze eram bombardeiros quadrimotores. Por esse desempenho notável, o Haupt mann Werner Schröer foi convocado ao quartel-general de Hitler na Prússia Oriental para receber de suas mãos as Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro, tornando-se o 268º soldado da Wehrmacht a receber essa honraria.

Mas, àquela altura da guerra, os céus do Reich estavam sendo invadi dos por grandes formações de bombardeiros aliados que atacavam sistematicamente as grandes cidades alemãs tanto de dia (pelos a-mericanos), como de noite (pelos ingleses).

Assim, cada vez mais a Luftwaffe viu necessidade de concentrar se- us caças para defender o próprio espaço aéreo. E a unidade de Schröer, o II./JG 27 não foi exceção, sendo que passou a operar na Alemanha em agosto de 1943.

Lutando em combates desesperados contra as gigantescas formações de bombardeiros da 8ª Força Aérea americana e sua escolta de caças, Schröer viu-se diante de uma tarefa extremamente difícil. Ainda assim, à frente de seu Gruppe, ele conseguiu derrubar outras 14 aeronaves inimigas (86ª a 99ª vitórias - das quais nada menos que 11 eram quadrimotores) entre setembro de 1943 e março de 1944. Digno de nota foram os combates travados em 06.09.1943, quando ele derrubou três Fortalezas Voadoras.

Schröer comemora sua 100ª vitória.

Em 14.03.1944 Schröer finalmente deixaria a JG 27 ao ser designado Kommandeur do III./JG 54 - a famosa Geschwader “Grünherz” - que havia se consagrado no combate contra os soviéticos na frente orien-tal. À frente desse esquadrão, no dia 24.05.1944, Schröer derrubou um caça de escolta P-51 Mustang e dois bombardeiros B-17 (100ª a 102ª vítimas), superando, assim, a marca de 100 vitórias confirmadas - to-das na frente ocidental! Na história da aviação, ele figura como o 73º piloto a alcançar a chamada "marca mágica" (incluindo os pilotos da frente russa).

Os combates que Schröer teve de enfrentar eram marcados pela abso-luta desigualdade: muitas vezes tinham de lutar em uma inferioridade de dez para um. O stress se tornou uma conseqüência inevitável e, em 06.06.1944 Schröer deixou a JG 54 depois de “contrair uma miste-riosa doença”, sendo seu lugar assumido pelo Hauptmann Robert Weiss (que acabou se tornando o 4º maior ás da Campanha da Nor-mandia). Mesmo tendo retornado ao seu posto no mês seguinte, Schröer acabou se ferindo em um acidente durante uma aterrissagem em 04.08.1944, que o manteve no hospital pelos próximos meses.

Entre 29.06.44 e 13.02.45 ele atuou como Instrutor-chefe da Kommandersschule des Generals der Jagdflieger (Escola de Comandantes da Força de Caças), mas, em 14.02.1945, o Major Werner Schröer retornou à frente de batalha ao se tornar o Kommodore da JG 3 "Udet. Encurralada no meio de uma Alemanha agora cercada pelos soviéticos à leste e pelos anglo-americanos à oeste, essa unidade passaria as últimas semanas da guer ra tentando conter o avanço inexorável do Exército Vermelho.

Combatendo com a mesma bravura que o havia consagra do outrora, Schröer obteria suas 12 últimas vitórias dian-te da força aérea soviética. Nos derradeiros momentos do III Reich, em 19 de abril de 1945 (quando contava com 110 vitórias), o Major Werner Schröer foi informado que ele havia se tornado o 144º soldado da Wehrmacht a re-ceber as Espadas da Cruz de Cavaleiro da Cruz de Fer-ro, após derrubar seu 110º. avião inimigo. A condecora- ção foi entregue em uma cerimônia local, já que, à essa altura, Berlim estava sendo sitiada pelos soviéticos. Para Schröer e para o Reich, a guerra já estava há muito perdi da.

O Major Werner Schröer entregou-se aos britânicos em 08 de maio de 1945, por ocasião da rendição alemã sen do que permaneceu prisioneiro até fevereiro de 1946. Ele

Schröer (esq) e Erich Hartmann (dir)
não voltaria a seguir a carreira militar e, nos últimos dias de vida, lutou pela construção de um memorial em honra ao seu amigo Marseille, que ele não veria concluído antes de morrer.

Durante a guerra Schröer havia voado "apenas" 197 missões de combate, mas obteve um resultado impressio-nante: 114 vitórias confirmadas (61 no norte da África, 41 na Itália e Defesa do Reich e 12 na frente oriental) - das quais 26 eram quadrimotores. O grande ás Werner Schröer, um dos pilotos mais combativos dentro da Luftwaffe, faleceu em 10 de fevereiro de 1985 em Munique, na antiga Alemanha Ocidental, dois dias antes de completar 68 anos de idade.



Bf 109E-7/Trop - Lt. Werner Schröer, 1./JG27 - Ain El Gazala/Libia - abril, 1941




Bf 109F-4/Z Trop - Hptm. Werner Schröer, Adjutant I./JG27 - Martuba/Líbia - 1942




Bf 109G-2/Trop - Hptm. Werner Schröer, Staffelkapitän 8./JG27 - Rhodes/Grécia - fevereiro, 1943

 

Ficha do Piloto
Unidades:
- Jagdgeschwader 27 - Adjutant I./JG 27 (03.42 - 30.06.42)
- Staffelkapitän 8./JG 27 (01.07.42 - 20.04.43)
- Kommandeur II./JG 27 (20.4.43 - 13.3.44)
- Jagdgeschwader 54 "Grünherz" - Kommandeur III./JG 54 (14.3.44 - 28.6.44
  - Fr. Fl. S.G. Ouedlinberg? - ? (29.06.44 - 13.02.45)
- Jagdgeschwader 3 "Udet" - Kommodore (14.2.45 - 8.5.45)
Aeronaves:
Messerschmitt Bf 109 séries E,F,G e K
Focke-Wulf Fw 190
Campanhas:
Batalha da Inglaterra
Norte da África
Frente Oriental
Defesa do Reich.
Promoções:
- 01.10.1938 - Gefreiter
- 01.04.1939 - Unteroffizier
- 01.12.1939 - Feldwebel
- 01.03.1941 - Leutnant
- 01.11.1942 - Oberleutnant
- 01.02.1943 - Hauptmann
- 01.11.1943 - Major
Condecorações:
- 19.04.1941 - Cruz de Ferro de 2ª classe
- 15.09.1941 - Cruz de Ferro de 1ª classe
- 06.08.1942 - Troféu de Honra
- 09.09.1942 - Cruz Germânica em ouro..............................................(10/106)
- 15.09.1942 - Clasp de Vôo em Ouro
- 20.10.1942 - Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro...................................(626º)
- 02.08.1943 - Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro ..........................(268º)
- 19.04.1945 - Espadas da Cruz de Cavaleiro .........................................(144º)

Bf 109G-2/Trop do  Staffelkapitän Werner Schröer (780x320 pxs - 27 kb) Bf 109E-7/Trop de Werner Schröer - Líbia, 1941 (778x385 pxs - 45 kb) Leme do avião de Schroer, atualmente exposto em um museu alemão (400x566 pxs) Bf 109E-7/Trop de Werner Schröer - Líbia, 1941 Páginas 7/8 (unidades) do Wehrpass de Schröer Página 44 (condecorações) do Wehrpass de Schröer




Principais Ases
Principais Aviões