Otto Kittel
(1917 - 1945)

Oberleutnant
JG54
583 missões de combate, 267 vitórias (94 Il-2s)
Morto em ação (16/02/1945)

Otto "Bruno" Kittel é, de todos os grandes ases alemães da II Guerra Mundial, aquele sobre o qual menos se escreveu. Tal fato é surpreendente, levando-se em conta que ele é o 4º maior ás da História e o piloto que mais obteve vitórias com o caça Focke-Wulf Fw 190 "Würger" - 220 de seus 267 abates foram a bordo deste avião. Uma parte desta ausência de informações talvez esteja no fato de Kittel ser um soldado extremamente avesso à publicidade, um homem de poucas palavras e que, devido à sua morte, nunca teve a oportunidade de escrever suas memórias.

Homem de pequena estatura, Otto "Bruno" Kittel nasceu em 21 de fevereiro de 1917, na cidade de Kronsdorf (Sudetos), Alemanha. Foi uma criança fascinada pela aviação mas, ao mesmo tempo, muito quieta e calma - características que se tornaram ainda mais acen-tuadas na vida adulta. A despeito disso, ao alistar-se na Luftwaffe em meados de 1939, pouco depois de completar 22 anos de idade, não houve muita surpresa entre seus familiares, sendo que ele ainda passaria os dois anos seguintes em treinamento.

Após a conclusão de seu curso, na primavera de 1941, Kittel foi de-signado como Unteroffizier junto ao 2./JG 54 "Grünherz" (1º Staffel da Jagdgeschwader 54), então recém equipada com os novos caças Bf 109F.

Atuando na frente norte durante a invasão da URSS (Operação Bar-barossa), ele alcançaria ainda no terceiro dia do ataque, em 24 de junho de 1941, suas primeiras vitórias: dois bombardeiros Tupolev SB-2.

Foi em 30 de junho de 1941, próximo a Dunaburg, que Kittel deparou-se pela primeira vez com o avião russo conhecido como Schwarzer Tod (Morte Negra) pelas tropas terrestres alemãs: o famoso Il-2 Shturmovik. O Il-2 era uma aeronave fortemente blindada, empregada pelos russos em missões de apoio e ataque ao solo. A tática padrão mais comumente usada pelos pilotos de Il-2 era de aproximar-se das linhas inimigas à baixa altitude, distribuindo os aviões ao longo de uma linha guiada pelo comandante, que abria fogo sobre a traseira dos carros pesados , enquanto outros aviões lançavam bombas de fragmentação, bombas perfurantes de 100kg, ou PTAB anti-carro, sobre os blindados ou as baterias antiaéreas autopropulsadas.

O Il-2 era praticamente imune aos métodos tradicionais de ataque em-pregados pelos pilotos de caça da Luftwaffe, por possuir uma excelente blindagem. Seu único lugar vulnerável era o refrigerador de óleo loca-lizado na parte inferior da aeronave. E isto foi o que Kittel fez, derrubando duas destas "feras" neste dia.

O tempo tornaria Kittel um dos maiores "matadores" de Il-2 da Luftwaffe, a ponto de se tornar conhecido como "O matador de Il-2" pelas tropas terrestres alemãs do exercito do norte.

Mas o seu caminho para o sucesso seria uma estrada árdua e longa. Embora tenha sido condecorado com a Cruz de Ferro de 1ª Classe em 29 de setembro de 1941, ao alcançar a marca de 10 vitórias confirma-das, Kittel acumularia apenas 15 abates confirmados até maio de 1942.

O antigo Geschwaderkommodore da JG 54, Hannes Trautloft, mais tarde se recordaria das dificuldades do jovem piloto: "Ele falava lentamente, com com hesitação. Seu temperamento em nada parecia com a imagem que o grande público tem de um piloto de caça. Abater uma aeronave pa

recia ser um enigma indecifrável para o jovem piloto, e seu sucesso demorou a vir. Uma vez colocado na companhia de Hans Philip, Walter Nowotny, Hans Götz, Franz Eckerle e outros talentosos pilotos do 1./JG 54, seu conhecimento sobre as técnicas de combate cresceu rapidamente. Outrora hesitante, ele se tornou como um cometa, subindo sempre e velozmente, nunca olhando para trás."

Como resultado, em 19 de fevereiro de 1943, durante um combate no qual interceptou uma formação de Il-2s no setor de Leningrado, o então Feldwebel Kittel conseguiu sua 39ª vitória, que foi a 4000ª conquistada pela JG 54 "Grünherz".

Pouco depois, outro fator importante contribuiria para que seu número de abates aumentasse significativamente: seu esquadrão passou a ser equipado com o novo caça Fo-cke-Wulf Fw 190. No entanto, os combates tornavam-se cada vez mais perigosos: em 15 de março de 1943 Kittel foi abatido atrás das linhas inimigas; embora tenha sido até mesmo listado como desaparecido em ação pelo seu esquadrão, ele conseguiu retornar às suas linhas.

Cerimônia de comemoração da 4.000ª vitória da JG 54 (esq-dir): Fw. Otto Kittel, Maj. Hannes Trautloft e Hptm. Hans Philipp (19.02.1943)

Nos sete meses seguintes "Bruno" abateria mais de oitenta adversários em combates contra uma cada vez mais poderosa Força Aérea Vermelha. Em 29 de outubro de 1943, o já Oberfeldwebel Otto Kittel tornou-se o 28º piloto da JG 54 a ser condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro, ao alcançar a marca de 123 vitórias confirmadas. Em 04 de abril de 1944, data em que alcançou sua 150ª vitória, ele foi promovido a Leutnant e designado para atuar como Staffelkapitän do 2./JG 54. Uma semana depois, Kittel foi chamado ao quartel-general de Hitler para receber as Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro, quando já contava com 151 abates.

A partir de agosto de 1944 Kittel e todo o I./JG 54 (Gruppe I da JG 54, do qual o 2º Staffel fazia parte), ficaram alocados na península de Kurland (Letônia), onde tropas alemãs lutavam desesperadamente contra as for- ças comunistas que avançavam em direção à Alemanha. Importante se dizer que, a despeito de inúmeros ataques lançados pelos soviéticos, as Forças Alemãs em Kurland não foram batidas até a capitulação final em maio de 1945 - muito depois de já estarem completamente sitiadas. Foi aí que lutando ao lado de tropas exaustas, pilotos da JG 54 como Erich Rudorffer, Horst Ademeit, Gerhard Thyben e Otto Kittel tiveram seus últi-mos momentos de glória.

Em 15 de agosto de 1944, Kittel derrubou mais um adversário, atingindo a 1000ª vitória do 2./JG 54 durante o conflito. Finalmente, em 25 de no-vembro de 1944, ao atingir a marca de 264 vitórias confirmadas, Otto Kittel foi novamente condecorado por Hitler, desta vez com as Espadas da Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro, ocasião em que também foi pro-movido a Oberleutnant.


Às 12:06hs do dia 16 de fevereiro de 1945, quatro Fw 190A-8s, liderados pelo Oberleutnant Otto Kittel decolaram de sua base no bolsão de Kurland. Era uma missão de Freie Jagd - caçada livre - sobre o front próximo a Dzukste.

Apenas sete minutos mais tarde os caças alemães avistaram 14 Il-2 Shturmoviks voando em uma fila única, que estavam bombardeando e disparando foguetes contra a infantaria alemã, a uma altitude de apenas 150 metros. Kittel orde-nou o ataque fazendo sua aproximação do lado direito da linha de aviões. Seu Rottenflieger naquela missão, Oberfähnrich Renner, mais tarde escreveu:

"Voando a uma distância de cerca de 300 metros do Oberleutnant Kittel, eu o vi mergulhar atrás de um dos Il-2 e atacá-lo. Atrás de nós dois outros Il-2s apareceram rapidamente. No momento seguinte uma explosão foi vista em seu cockpit e sua aeronave começou a descer."


O Fw 190A-8 "1-Preto" de Kittel caiu sobre sua asa direi-ta, pegou fogo e explodiu. Não houve a menor chance para seu piloto escapar. Entretanto, mesmo com o depoimento de seu ala, por muito tempo houve controvérsia sobre as circunstâncias da morte de Kittel, havendo teorias de que havia sido atingido pelo artilheiro de ré do IL-2 ou mesmo pelo Flak.

De acordo com registros soviéticos, esta missão particular estava sendo escoltada por caças Yak-9s do 4º IAP. Ivan Stepanenko (duas vezes "Herói da União Soviética" e ás de 33 vitórias individuais e 8 parciais), alegou ter abatido um Fw 190 que estava na cauda de um Il-2. Nesta missão ele voava um Yak-9T, equipado com um canhão NS-37, de 37mm - que pode muito bem ter causado a explosão que o Oberfähnrich Renner descreveu.

O corpo carbonizado de Kittel ficou na terra-de-ninguém até ser resgatado por soldados da SS, sendo entre-gue aos seus companheiros da JG 54, que providenciaram o sepultamento apropriado ao piloto da Luftwaffe de maior número de vitórias a ser morto em combate.

O Oberleutnant Otto Kittel havia voado 583 missões de combate, ao longo das quais alcançou a marca de 267 vitórias confirmadas - todas obtidas na frente russa - e figura hoje como o quarto maior ás da Luftwaffe e da História.



Bf 109F-2 - Fw. Otto Kittel, I./JG 54 - Krasnogvardeisk/URSS - maio, 1942



Fw 190A-7 - Oblt. Otto Kittel, 3./JG 54 - Riga-Skulte/Letônia - junho, 1944


Fw 190A-6 - Oblt. Otto Kittel, 3./JG 54 - Riga-Skulte/Letônia - setembro, 1944



Ficha do Piloto
Unidades:
- Jagdgeschwader 54 "Grünherz" - Staffelkapitän 2./JG 54 (8.4.44)
Aeronaves:
Messerschmitt Bf 109
Focke-Wulf Fw 190
Campanhas:

Frente Oriental

Promoções:
- ??.??.1941 - Unteroffizier
- ??.??.1942 - Feldwebel
- ??.??.1943 - Oberfeldwebel
- 08.04.1944 - Leutnant
- 25.11.1944 - Oberleutnant
Condecorações:
- 30.06.1941 - Cruz de Ferro de 2ª classe
- 29.09.1941 - Cruz de Ferro de 1ª classe
- 21.12.1942 - Troféu de Honra
- 18.03.1943 - Cruz Germânica em Ouro ..............................................(2/174)
- 29.10.1943 - Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro...................................(918º)
- 11.04.1944 - Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro ..........................(449º)
- 25.11.1944 - Espadas da Cruz de Cavaleiro .........................................(113º)


Principais Ases
Principais Aviões