Heinrich Ehrler
(1917 - 1945)

Major
JG77, JG5 e JG7
+400 missões de combate, 208 vitórias (8 c/Me 262, 7 quadrimotores)
Morto em Ação (04/04/1945)



O Major Heinrich Ehrler foi, sem dúvida, o ás mais injustiçado pelo Alto Comando alemão durante a II Guerra Mundial. Isto porque seus superiores preferiram escolhe-lo como culpado por um incidente no qual nada pôde fazer, ao invés de reconhecê-lo como um de seus melhores pilotos. Nascido em 14 de setembro de 1917, na cidade de Oberbalbach, Estado de Baden (Alemanha), Heinrich Ehrler iniciou sua carreira militar em um regimento de Artilharia do Exército em 1935, aos 18 anos de idade.

No ano seguinte Ehrler foi transferido, com a patente de Unteroffizier, para a Luftwaffe onde serviu junto a uma unidade de bateria antiaérea (Flak). Com esta unidade, ele seria deslocado para a Espanha, participando da Guerra Civil naquele país como artilheiro.

Após seu retorno à Alemanha, Ehrler transferiu-se para o curso de pilotos de caça, vindo a concluí-lo no início de 1940.

Incorporado ao 4º Staffel da Jagdgeschwader 77 (4./JG 77), Ehrler alcançou sua primeira vitória, durante a Blitzkrieg, em maio de 1940, ao abater um bombardeiro Blenheim da RAF, o que lhe valeu a Cruz de Ferro de 2ª Clas-se. No entanto, o início de sua carreira seria lento, tendo que desenvolver cuidadosamente suas táticas de combate. Consequentemente, sua segun-da vitória só viria em 19 de fevereiro de 1941.


(esq-dir): Weissemberger, Ehrler, ? Ao mesmo tempo, em 1º de fevereiro de 1941 o 4./JG 77 foi redesignado 4./JG 5 (4º Staffel da Jagdgeschwader 5, conhecido como "Eismeer"). Com o início da Operação Barbarossa - a invasão da União Soviética, a JG 5 atuaria exclusivamente no extremo norte do front russo - o chamado Front Ártico - até 1944, abrangendo, além da URSS, também a defesa da costa da Noruega, a partir de bases neste país e na aliada Finlândia. Nesta unidade Ehrler se tornaria um amigo próximo de outro grande ás da Luftwaffe: Theodor "Theo" Weißenberger. Até o final de 1941, Ehrler acumularia um total de 11 vitórias confir-madas e havia sido condecorado com a Cruz de Ferro de 1ª Classe.

Entre janeiro e setembro de 1942 Ehrler derrubaria um total de 54 adversários. O seu empenho começou a lhe render frutos e, pouco depois de sua transferência para o 6./JG 5, em maio de 1942, Ehrler abateu seu 35º adversário, fato que lhe valeu o Troféu de Honra da Luftwaffe em 20 de julho de 1942. Ele ainda seria alçado ao posto de Staffelkapitän do 6./JG 5 em 22 de agosto de 1942. Mais importante ainda, em 04 de setembro deste mesmo ano, após obter sua 64ª vitória aérea, o Oberleutnant Heinrich Ehrler foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro.

Promovido a Hauptmann e condecorado com a Cruz Germânica em 18 de março de 1943, Ehrler se engajaria em um violento combate em 27 de março de 1943, quando abateu em alguns minutos cinco Kittyhawks e Airacobras soviéticos. Enquanto tentava abater outro caça, ele foi atingido por fogo adversário, sendo obrigado a abandonar o combate e retornando à sua base com ferimentos leves.


Leme do avião de Erhler ornamentado com 100 vitórias.

Ehrler foi designado Gruppenkommandeur do III./JG 5 (Gruppe III da JG 5) em 01 de junho de 1943. Cinco dias depois, ele abateu quatro Hurricanes russos - suas vitórias de número 96 a 99 - e, finalmente, atingiu a marca de 100 vitórias no dia seguinte. À esta altura a Luftwaffe enfrentava uma Força Aérea Soviética cada vez mais poderosa, tendo que assumir um papel defensivo mas, ainda assim, envolvendo-se em combates cada vez mais violentos. Como resultado direto, o número de vitórias dos ases alemães aumentou sensivelmente, refletindo a inferioridade numérica a que estavam sujeitos, e Ehrler não foi exceção: em 02 de agosto de 1943 ele alcançava a marca de 112 vitórias aéreas, tornando-se o 265º soldado da Wehrmacht a ser condecorado por Hitler com as Folhas de Carvalho da Cruz de Ferro.

Suas vitórias prosseguiram com incrível freqüência: em 17 de março de 1944 ele abateu oito aeronaves adversárias, atingindo a marca de 131 abates. Seu melhor dia, no entanto, viria em 25 de maio de 1944, quando derrubou nada menos que nove aviões soviéticos, elevando sua marca para 155 vitórias aéreas.

Em 01 de agosto de 1944 Ehrler foi designado para ocupar a posição de Geschwaderkommodore da JG 5. Dentre as várias regiões que estavam sob sua responsabilidade, encontravam-se os fiordes da Noruega, onde estava ancorado o último grande navio da Kriegsmarine: o encouraçado de 50.000 toneladas TIRPITZ, então ancorado em Tromsö - que também deveria ser defendido pelo Major Ehrler e sua unidade. Entretanto, essa incumbência se revelaria sua ruína.

No início de novembro de 1944, Ehrler possuía um total de 199 vitórias e já havia sido indicado para as Espadas das Cruz de Cavaleiro.

Mas, em 12 de novembro, a RAF desfechou um ataque com 32 bombardeiros Lancaster do 617th Bomber Squadron, que acertaram três bombas de 5 toneladas no TIRPITZ, que afundou levando consigo mais de 1000 marinheiros alemães. O fato é que os caças da JG 5, liderados pelo próprio Ehrler, chegaram apenas alguns minutos após o ataque ter acabado. Embora hajam boatos que Ehrler, aparentemente, estava entretido com uma namorada, a questão é mais complicada.

(esq-dir): Walter Schuck, Franz Dörr, Ehrler e Jakob Norz.

Na verdade o fracasso na interceptação dos bombardeiros ingleses deu-se devido a uma falha no sistema de comunicações entre os controladores de vôo e a base dos caças e, além disso, na demora de se descobrir qual o alvo do ataque. Embora a RAF tenha voado em espaço aéreo neutro para efetuar o ataque, o que teria prejudicado de qualquer maneira a reação alemã, caso os alemães tivessem chegado a tempo, os atacantes teriam sido massacrados facilmente, mas não foi isso que aconteceu. E o Alto Comando precisava de um culpado.

Embora tenha, por fim, alcançado sua 200ª vitória em 20 de novembro, as Espadas da Cruz de Cavaleiro nunca lhe foram concedidas e Ehrler foi exonerado de seu comando pouco depois. Ele foi levado à corte marcial, considerado culpado de negligência (a acusação afirmou que ele estaria mais preocupado em obter sua 200ª vitória do que proteger o navio) e sentenciado à morte - o perfeito bode expiatório. No entanto, tendo em vista a escassez de pilotos experientes que afligia a Luftwaffe nesta época e a intervenção de seu amigo Theodor Weißenberger a pena foi comutada para três anos de trabalhos forçados, a serem cumpridos após o término da guerra.

Com certeza as acusações feitas e a sentença que lhe foi dada, definitivamente quebrou o espírito de combate de Ehrler mas Weißenberger ainda conseguiria a transferência dele para a unidade que estava comandando àquela altura: a Jagdgeschwader 7. Na JG 7 - que operava os revolucionários caças à jato Me 262, ante-riormente do Kommando Nowotny -, Ehrler foi incorporado ao respectivo Geschwaderstab em 27 de fevereiro de 1945. Nesta unidade, ele alcançaria suas últimas oito vitórias, todas à bordo do Me 262 enquanto enfrentava os bombardeiros aliados que assolavam a Alemanha.

Em 04 de abril de 1945 os caças Me 262 alçaram vôo mais uma vez para enfrentar os bombardeiros americanos. Nesta missão Ehrler abateu dois quadrimotores B-17s da USAAF na localidade de Stendal (Alemanha), enquanto voava com o Kommodore Weißenberger. Durante o caos do combate "Theo" Weißenberger ouviu Ehrler dizer pelo rádio transmissor:

"Theo! Minha munição acabou! Eu vou abalroar este últi-mo! Auf Wiedersehen! Verei você em Walhalla!"

Em seguida Theo e outro piloto observaram enquanto Ehrler arremessava seu avião contra um dos gigantescos

(esq-dir): Weissemberger, Ehrler, ?
bombardeiros. Ele não retornou dessa missão, e seu corpo foi encontrado em 06 de abril em Stendal, onde foi enterrado em 10 de abril de 1945.

Heinrich Ehrler havia voado mais de 400 missões, durante as quais alcançou a marca de 208 vitórias confir-madas, sete das quais eram bombardeiros quadrimotores e oito a bordo do revollucionário jato Me 262, o que lhe assegura a posição histórica de 10º maior ás da Luftwaffe e de todos os tempos.



Bf 109G-2 - Oblt. Heinrich Ehrler, Staffelkapitän 6./ JG 5 - Petsamo/Finlândia - março, 1943



Bf 109G-6 - Hptm. Heinrich Ehrler, Kommandeur III./JG 5 - Petsamo/Finlândia - junho,1943



Ficha do Piloto
Unidades:
- Jagdgeschwader 77  
- Jagdgeschwader 5 - Staffelkapitän 6./JG 5 (8.42 - )
- Kommandeur III./JG 5 (6.43 - 5.44)
- Kommodore (5.44 - 2.45)
- Jagdgeschwader 7  
Aeronaves:
  - Messerschmitt Bf 109
- Messerschmitt Me 262
Campanhas:
  - Guerra Civil Espanhola
- Blitzkrieg
- Batalha da Inglaterra
- Frente Oriental
Promoções:
- 18.03.1943 - Hauptmann
Condecorações:
- 20.07.1942 - Troféu de Honra
- 04.09.1942 - Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro
- 18.03.1943 - Cruz Germânica em ouro
- 02.08.1943 - Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro ..........................(265º)
 





Ehrler em  frente ao seu Bf 109G-2 (534x535 pxs - 53 kb) Schuck, ?, Ehrler, ? (418x570 pxs - 34 kb) Bf 109G-2 "12-amarelo" (780x332 pxs - 40 kb)

 

Principais Ases
Principais Aviões