Esta seção tem como objetivo apresentar as principais aeronaves dos adversários da Luftwaffe (USAAF, RAF, Army de L'air e Força Aérea Vermelha), os chamados "Aliados", bem como os próprios aliados da Ale-manha na Segunda Guerra Mundial, denominado de "Eixo", era composto além da Alemanha por Itália e Ja-pão.

Na verdade, a quantidade de países que lutaram ao lado do "Eixo" é muito mais expressiva. Dentre as outras prin cipais nações que compunham esta força encontrava-se a: Hungria, Romênia, Bulgaria, Eslováquia, Croácia e Fin-lândia. Além de milhares de soldados oriundos de países que estavam sob ocupação alemã e que se apresenta-vam voluntariamente.

Esses voluntários vinham não somente de todas as regiõ es da Europa ocupada, Balcãs e URSS como também de todas as partes do mundo e a razão pela qual lutaram ao lado dos alemães é tão variada quanto a diversidade dos povos encontrados.

Membros da Esquadrilha Azul (Spanische Staffel) que lutou na URSS incorporada a JG27.

A grande maioria possuía um forte sentimento anti-comunista e ou nacionalista. Entre esses países podemos citar a: França, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Noruega, Polônia, repúblicas que formavam a Iugoslávia e princi-palmente das chamadas repúblicas soviéticas, que lutavam por sua independência. Todos estes voluntários tinham, pelo menos, uma coisa em comum: combater o comunismo soviético.

Voluntário estoniano da Luftwaffe sendo condecorado, 1943

O Eixo também era reforçado por uma Legião de solda-dos vindos dos chamados "países neutros" como Portu-gal, Espanha, Suécia e até mesmo voluntários oriundos de países que pertenciam ou lutavam oficialmente ao la-do dos "Aliados", como a própria Grã Bretanha (principal-mente irlandeses), a Rússia, a Índia e o Brasil.

Entre esses voluntários podemos incluir o Hauptmann Egon Albrecht piloto da ZG1, ZG76, SKG210 e JG76, ganhador da Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro com 25 vitórias confirmdas e que nasceu na cidade de Curitiba-PR/ Brasil em 19.05.1918

Albrecht lutou na Rússia a partir de novembro de 1941, tornando-se Staffelkapitän do 6./ZG 1 em 12.06.1942 e Gruppenkommandeur do II./ZG 1 em 09.10.1943. Ele foi

morto em 25.08.1944, após seu Messerschmitt Bf 109 G-14 (Werknummer 460593) "preto-21" ser abatido por caças P-51 Mustangs da USAAF próximo a localidade de St. Claude na França.

Recentemente foi descoberto um relatório de uma colisão entre dois Messerschmitt Bf110 , onde todos os tri-pulantes morreram. Um deles era o piloto Wolfgang Ortmann, outro voluntário brasileiro.


a. Os "Aliados"



Soldados da L.V.F. (Légion des Volontaires Français) lutando ao lado da 7ª Divisão de Infantaria na URSS. (Foto publicada na revista Signal em 1942).

Voluntários cossacos (623º Batalhão)
 - Estados Unidos
- França
- Inglaterra
- Polônia
- União Soviética

b. O "Eixo" e seus aliados
 
- Alemanha
- Bulgária
- Croácia
- Eslováquia
- Finlândia
- Hungria
- Itália
- Japão
- Romênia
Voluntário chinês (primeiro à esq.) entre os soldados húngaros.

Algumas legiões de voluntários estrangeiros:


- División Azul (Espanha)
- Légion des Volontaires Français - LVF (França)
- Legion Wallonie (Bélgica)
- British Free Corps - BFC (Grã Bretanha)
- Exército Russo de Libertação - ROA
- Exército Russo de Libertação Nacional - RONA
- Exército Nacional do Povo Russo - RNNA
- Exército Ucraniano de Libertação - UVV (Ucrânia)
- Legião Indiana Livre - AHF (Índia)
- Legião Árabe Livre (Nações Árabes)

Voluntários russos do Exército Russo de Libertação ou  Russkaia Osvoboditelnaia Armiia (ROA) servindo na Luftwaffe.O número exato da enorme quantidade de voluntários es-trangeiros que prestaram serviço nas Forças Armadas A-lemãs entre 1939 e 1945 é ignorado, sendo considerado por muitos historiadores, um dos mais intrigantes aspec-tos da II Guerra Mundial, e ao mesmo tempo muito pouco conhecido. Calcula-se que durante todo o conflito, cerca de 2.000.000 de voluntários estrangeiros combateram in-corporados aos contingentes da Wehrmacht e WaffenSS. No leste, apenas os voluntários individuais, ou seja, aque les integrados diretamente às unidades regulares alemãs chegava a 1.000.000 de homens, vindos principalmente das repúblicas soviéticas. Este número é o resultado dire to de vários anos de brutal domínio exercido pelo império soviético.

Muitos desses voluntários eram anonimamente incorporados às forças regulares alemãs e serviram em todos os setores militares, enquanto outros formavam unidades distintas, legiões compostas exclusivamen-te por estrangeiros contendo soldados de uma determinada etnia, cul-tura, religião e ou regime político. Estas unidades eram empregadas numa infinidade de funções, desde o transporte de feridos e suprimen-tos até o combate contra partisans ou mesmo na linha de frente.

Algumas delas provaram ser de primeira linha e verdadeiras formações de elite, estando a altura das demais unidades regulares da Wehr-macht e Waffen SS, enquanto outras tiveram resultado despresivel em combate. No final da guerra, muitos desses voluntários foram mortos pelos próprios compatriotas ou pelos "Aliados", enquanto os demais se renderam em seus países de origem. Na maioria desses casos, principalmente nas repúblicas soviéticas, estes voluntários nunca mais seriam vistos novamente.

Voluntário indiano da Legião Indiana Livre ou Azad Hind Fauj.

Voluntário muçulmano da Legião Árabe Livre.

A grande maioria das legiões de voluntários utillizavam os mesmos uni-formes que o resto da Wehrmacht, porém algumas variações eram per-mitidas afim de respeitar os costumes, as tradições e o orgulho das di-versas nacionalidades. Cada organização estrangeira possuia o seu pro prio emblema ou escudo, que era fixado no uniforme regular da Wehr-macht. Esses escudos apareciam geralmente costurados no ombro di-reito do uniforme e no lado direito do capacete, como mostrado na foto ao lado. Estas legiões também possuiam os seus próprios sistemas de insignias de patentes.

Abaixo podemos observar alguns países e escudos das muitas legiões de voluntários estrangeiros que lutaram ao lado do Eixo. É importante ressaltar que econtram-se presentes aqui apenas os principais países, caso fossemos apresentar todos, provavelmente acabariamos incluíndo a grande maioria das nações do mundo. Pois durante a Segunda Guer-ra Mundial a maioria dos países possuíam simpatizantes de ambas as ideologias: a socialista ou "de esquerda" liderada pela União Soviética e a nacional-socialista (nazista) ou "de direita" liderada pela Alemanha, um bom exemplo disso é o próprio Brasil.


a. Voluntários da Europa Ocidental

- Boêmia
- Bélgica
- Dinamarca
- Espanha
- Finlândia
- Flandres
- França
- Grã Bretanha
- Holanda
- Itália
- Liechtenstein
- Luxemburgo
- Noruega
- Portugal
- Suécia
- Suíça
Voluntários italianos da Wehrmacht
Espanha (División Azul)
Voluntários holandeses da Wehrmacht
Grã-Bretanha (British Free Corps ou Legion of St. George)
Voluntários finlandeses (5ª Divisão Panzer SS "Wiking")
Voluntários italianos das Waffen SS
França (Légion des volontaires français - LVF).
Voluntários holandeses das Waffen SS
Voluntários boêmios
Voluntários flamengos das Waffen SS
Voluntários belgas (Legion Wallonie)
Voluntários dinamarqueses
Voluntários noruegueses


b. Voluntários da Europa Central

- Albania
- Bulgária
- Croácia
- Eslováquia
- Eslovênia
- Estônia
- Grécia
- Hungria
- Letônia
- Lituânia
- Montenegro
- Polônia
- Romenia
- Sérvia
Voluntários búlgaros
Voluntários romenos (1º tipo)
Estônia
Letônia
Lituânia
Voluntários húngaros
Voluntários romenos (2º tipo)
Estônia (2º tipo)
Letônia (2º tipo)
Voluntários albaneses
Voluntários croatas
Voluntários eslovácos


c. Voluntários da Europa Oriental

1. Legiões Russas

- ROA
- RONA
- RNNA
- Sonderedivision R

Voluntários russos (Início)
Rússia (Exército Russo de Libertação ou  Russkaia Osvoboditelnaia Armiia - POA - liderado pelo General Andrei Vlasov) - 1º tipo
Rússia (Brigada Kaminski ou Exército Russo de Libertação Nacional - Russkaya Ovsoboditelnaya Narodnaya Armija - POHA), liderado por Bronislav Vladislavovich Kaminski.
Rússia (Sonderdivision R), liderado pelo Oberstleutnant B.A.Smyslovsky ,

2. Legiões Não-Russas

- Armênia
- Bielo-Rússia
- Cáucaso
- Georgia
- Ucrânia

Bielo-Rússia (Exército Nacional do Povo Bielo-Russo)
Ucrânia (Exército Ucraniano de Libertação ou Ukraniske Vyzvolne Viysko - UVV)
Armênia (812º Batalhão armênio, lutou na frente russa e Holanda)
Voluntários do norte do Cáucaso.
 Voluntários do Norte do Cáucaso (2º tipo, 1943).
Voluntários bielo-russos
Geórgia (Voluntários do país de origem de Josef Stalin)

3. Legiões Muçulmanas

- Azerbaijão
- Tártaros da Criméia
- Tártaros do Volga
- Turquistão

Voluntários muçulmanos do Azerbaijão
Voluntários muçulmanos do Turquistão (2º tipo)
Voluntários muçulmanos tártaros da Criméia (Início)
Voluntários muçulmanos tártaros do Volga - 1º tipo
Voluntários muçulmanos tártaros do Volga - 3º tipo
Voluntários muçulmanos do Turquistão  (1º tipo)
Voluntários muçulmanos do Turquistão (3º tipo)
Voluntários muçulmanos tártaros da Criméia (Final)
Voluntários muçulmanos tártaros do Volga - 2º tipo

4. Legiões Cossacas

- Cossacos do Don
- Cossacos de Kuban
- Cossacos da Sibéria
- Cossacos Terek

Voluntários cossacos do Don pertencentes a 1ª Divisão Cossaca.
Voluntários cossacos do Don pertencentes a 2ª Divisão Cossaca (1944-45).
Voluntários cossacos de Kuban.
Voluntários cossacos da Sibéria.
Voluntários cossacos Terek .
Voluntários cossacos Terek (2º tipo, 1944)


d. Voluntários da Ásia

- China
- Corea
- Índia
- Japão
- Mongólia


e. Voluntários do
    Oriente Médio

- Nações Árabes

Voluntários japoneses
Voluntários ingleses do British Free Corps (BFC).
Índia (Legião Indiana Livre ou Azad Hind Fauj)
 
Nações árabes - Legião Árabe Livre (Formada por voluntários muçulmanos do Oriente Médio.)


Voluntáro cossaco do Don. Voluntário do Turquistão Voluntários cossacos de Kuban. Voluntários franceses.