Henschel Hs 126


 

No início da Segunda Guerra Mundial, o Henschel Hs126 era o avião de reconhecimento mais utilizado e mais bem sucedido da Luftwaffe. Nos primeiros anos da Blitzkrieg, o Hs126 servia como aeronave de ligação, dando as coordenadas do inimigo à artilharia germânica. Embora apresentasse um currículo admirável, sua produção cessou no ano de 1942, como reflexo do desenho antiquado e desempenho limitado, sendo substituí do pelo moderno Focke-Wulf Fw 189.

 

Desenvolvimento

O projeto do Hs126 nasceu em virtude do fracasso do seu primo mais velho, o Henschel Hs122. Os novos de-senhos apontavam para um aeroplano incomum, dotado de asas altas - suportadas por hastes metálicas, nu-ma construção em estilo parasol -, assemelhando-se muito com o aparelho inglês Lysander. A tripulação era de dois homens, perfilados na fuselagem e localizados atrás e abaixo da asa, em cabinas separadas, sendo que o piloto ficava num compartimento fechado por um canopy de vidro.

O Hs126 foi concebido como um aparelho de reconhe cimento à curta distância, a fim de servir de apoio às peças de artilharia alemãs, mas ele também deveria ser capaz de realizar missões de suporte aéreo. As-sim, o avião tinha, além de uma invejável robustez, u-ma incrível capacidade de STOL (“Short Take Off and Landing”), estando hábil a operar a partir de pistas de decolagem bastante precárias e extremamente curtas

O aeroplano recebeu diversos equipamentos, como câmaras fotográficas, aparelhos de rádio para peque-nas e médias distâncias, a previsão para armamento leve, no caso duas metralhadoras (MG 15 ou MG 17) e suporte para 150kg de bombas.


O primeiro vôo ocorreu no outono de 1936, com a pre sença de vários oficiais do RLM. Os resultados do tes te inaugural encaixavam o Hs126 como uma boa op- ção para suprir a demanda por aviões da Luftwaffe.

Paralelamente, Adolf Hitler enviava apoio tático às tro pas nacionalistas, lideradas por Francisco Franco, que combatiam os republicanos na chamada Guerra Civil Espanhola. Por esse motivo, o RLM assinou ime diatamente um contrato com a Henschel.

 

O Henschel He 126 em Combate

A intervenção germânica na Guerra Civil Espanhola e a conseqüente criação da Legião Condor retiraram todos os obstáculos à produção em série do Hs126. As primeiras unidades da pré-série (Hs126 A-0) foram entre-gues para os pilotos na Espanha, realizando ataques às posições republicanas e reconhecimento atrás das linhas inimigas. O sucesso foi tamanho que a Luftwaffe passou a utilizar 280 unidades nos esquadrões de re-conhecimento, os chamados Aufklarungsstaffein, em 1938.

Quando da eclosão da Segunda Guerra Mundial em 01.09.1939, os Henschel Hs126 entraram novamente em combate, realizando investidas durante a Blitzkri eg. Nessas ocasiões o Hs126 realizou seu trabalho com grande destreza, mas essa onda de sucessos iria inverter-se na Batalha da Inglaterra.

Nos primeiros meses da luta pela conquista do Ca-nal, o Hs126 sofreu pesadas baixas, indicando que seu design já estava bastante ultrapassado. O mes-mo se repetiu no Norte da África e nos meses seguin tes, as unidades operacionais do aparelho foram retira das do front ocidental, passando a servirem na Opera- ção Barbarrossa (a invasão da URSS).


Entretanto, na segunda metade de 1941, a Luftwaffe cancelou o contrato e a Henschel encerrou imediata-mente a produção do Hs126, totalizando 802 aerona-ves fabricadas. Aqueles que ainda estavam em servi ço foram gradualmente substituídos pelo Focke-Wulf Fw189, um avião mais moderno e rápido do que o ve-terano projeto da Henschel.

A partir de então, os Hs126 restantes foram sendo en viados para escolas de treinamento ou foram converti-dos para rebocadores de planadores. Em 1944 , um número reduzido desses aparelhos foi usado em in-vestidas contra posições da resistência soviética ou em ataque aos partisans iugoslavos de Tito, nos Bál-cãs.

Quando da rendição das tropas alemãs em 08 de maio de 1945, cerca de 200 unidades do Hs126 ainda esta-vam em combate, estacionados junto a diversos Nachtschlachtgruppen e utilizando uma grande gama de ar-mamentos.


Histórico
Séries:
A,B
Categoria(s):
Biposto de reconhecimento de curta e média distância; aeronave de ataque terrestre e planador
Tripulantes:
2
Primeiro Vôo:
Agosto de 1936
Primeira entrega:
Junho de 1937 (A-0)
Última entrega:
Janeiro de 1941
Ficha Técnica - Hs 126A-0
Motor:
Bramo Fafnir 323A-1, 9 cilindros
Potência:
850 hp
Dimensões:
Envergadura:......................................14,50 m
Comprimento:.....................................10,85 m (incluindo antenas)
Altura:.................................................03,75 m
Pesos:
Vazio:..................................................2.000 kg
Máximo:.............................................3.270 kg
Desempenho:
Vel. cruzeiro:...................................... 
Vel. máxima:......................................356 km/h
Vel. ascensão:.................................... 
Autonomia:......................................... 720 km
Teto serviço:......................................8.200 m
Armamento(s):
1 x MG15 (ou MG17) sobre o capo
1 x MG 15 (ou MG17) atras do cockpit
150 kg de bombas ou tanque extra
 

 

 

Principais Aviões
Condecorações