Bücker Bü 131
"Jungmann"


O primeiro projeto da Bücker Flugzeugbau GmbH, sediada em Johannisthal (Alemanha), foi um avião de trei no biposto, conhecido como Bücker Bü 131 Jungmann (Jovem) e foi desenhado pelo engenheiro chefe da com-panhia, o sueco Anders J. Andersson.

Este avião era um tradicional biplano com asas de madeira cobertas por tecido, fuselagem constituída por tu-bos de liga de cromo-molibdênio os quais, com exceção da liga de alumínio em torno do motor e cockpit, era também completamente revestida de tecido.

A cauda e o leme eram feitos de tubos da mesma liga de cromo-molibdênio, recobertos por arame entrelaça-do em uma construção similar à fuselagem, sendo do-tada de uma bequilha.

Esta estrutura conferia extrema resistência ao avião, permitindo suportar até cerca de 12 G´s de aceleração. Um detalhe interessante de sua construção era o fato de que as asas superiores e inferiores eram intercam-biáveis entre si. O trem de pouso era fixo, do tipo dividi-do.

O protótipo (D-3150) voou pela primeira vez em 27 de abril de 1934 e era equipado com um motor Hirth HM 60R, de quatro cilindros em linha de 80 H.P. O Bü 131A, como a versão inicial de produção foi denominada, provou ser um tremendo sucesso comercial, sendo manufaturado não apenas para as escolas de vôo civis na Alemanha, mas também para a recém-criada Luftwaffe, então ávida por aviões de instrução. Os aviões forneci-dos à Força Aérea alemã consistiam não apenas de aparelhos Bü 131A mas também da nova versão Bü 131B que utilizava o mais potente motor Hirth HM 504A-2 de 105 H.P.

A Bücker ainda produziu vários exemplares para expor-tação, e o avião entraria em serviço em outros oito paí- ses da Europa, sendo que os maiores usuários foram a Hungria (com 100 aviões) e a Romênia (com 150), so-mando-se a estes outros 75 produzidos sob licença na Suíça. No entanto, o uso mais extensivo deste avião deu-se pelo Japão, que adquiriu a licença de produção, sendo que a fábrica de Kokusai fabricou nada menos que 1.037 aparelhos, utilizados principalmente pelo E-xército, onde eram denominados Treinador Primário Ti-po 4 (Ki-86A).

Mas o sucesso foi tão grande no Japão, que a fabricação prosseguiu na fábrica de Watanabe (depois denominada Kyushu), desta vez direcio-nando a produção para a Marinha Imperial japonesa, que os denominou "Treinador Primário Modelo 11 (K9WI)".

A quantidade produzida para a marinha não é certa, sendo que as fon-tes internacionais afirmam que o número situa-se em algo em torno de 217 a 339 aviões, sendo certo, porém, que pelo menos, duas centenas estiveram em serviço.

Usado ao longo da II Guerra Mundial pela Luftwaffe, o Bü 131 foi mais tarde sendo substituído pelo melhor Bucker Bü 181 Bestmann, embora muitos tenham visto serviço como aviões auxiliares em esquadrões de apoio à infantaria e ataque ao solo. Nestas missões eles carregavam bombas de 1kg ou 2 kg, voando à noite e efetuando suas incursões como meio de providenciar pressão contínua contra as linhas soviéti-cas.

Como vários outros treinadores clássicos, muitos Bü 131 sobreviveram à guerra e o aparelho até mesmo teve uma sobrevida após o conflito, já que foram até mesmo produzidos pela empresa Aero na Checoslováquia (co-mo modelo C4) , durante os anos 50.

Histórico
Séries:
A,B e versões de exportação
Categoria(s):
Biplano de treinamento básico, ataque ao solo noturno e acrobacia
Tripulantes:
2
Primeiro Vôo:
27 de abril de 1934
Primeira entrega:
1935
Última entrega:
 
Ficha Técnica
Motor:
(A) 1 x Hirth HM 60R
(B) 1 x Hirth HM 504A-2 com quatro cilindros em linha, refrigerado à ar
Potência:
(A) 80 hp
(B) 105 hp
Dimensões:
Envergadura:......................................7,40 m
Comprimento:.....................................6,62 m
Altura:.................................................2,30 m
Pesos:
Vazio:..................................................390 kg
Máximo:.............................................680 kg
Desempenho:
Vel. cruzeiro:......................................170 km/h
Vel. máxima:...................................... 183 km/h (B)
Vel. ascensão:....................................2.000m em 12 min.
Autonomia:.........................................400 - 650 km
Teto serviço:......................................3.000 m
Armamento(s):
Nenhum
Vídeos:

 

Principais Aviões
Condecorações